conecte-se conosco


Policial

Após 40 dias foragido, empresário é preso e solto no mesmo dia em MT

Publicado

Acusado de participação em uma organização criminosa que teria subtraído R$ 4 milhões em impostos do erário estadual, utilizando-se para isso de revendas ilegais de bebidas ultradestiladas, como cachaças, vodcas e até vinhos, Marcelo Ledra Garcia entregou-se à custódia da PJC (Polícia Judiciária Civil) na última sexta-feira pela manhã e teve sua prisão preventiva revogada no mesmo dias após ficar 40 dias.  O único inconveniente será a obrigação de usar tornozeleira eletrônica.

O empresário Marcelo “Bacat”, alcunha utilizada, passou todo esse tempo foragido da justiça. Ainda assim, conseguiu a expedição de um alvará de soltura mesmo após parecer contrário à liberação manifestado pelo MPE (Ministério Público Estadual) com “judiciosos argumentos”.

De acordo com o inquérito policial, ele era o chefe da organização e por isso era imprescindível ouvir o que ele tinha a revelar e por isso o delegado da Defaz, Sylvio do Vale Ferreira Junior, pedira sua prisão preventiva, acatada pelo juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da Sétima Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. Não adiantou muito, pois ele usou seu direito de permanecer em silêncio e não contou absolutamente nenhum detalhe sobre as operações.

“Entendo, no entanto, a despeito do parecer ministerial, que houve modificação da situação fática em relação ao estado de coisas, no que se refere aos requisitos da prisão cautelar. Verifico, nesse caso, que o acusado Marcelo Ledra Garcia se apresenta para se submeter à ação da justiça, de modo que demonstra movimento diametralmente oposto àquele que externava à sua mãe, que era de sair do país”, escreveu o juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, responsável pela decisão. O magistrado atendeu um pedido do advogado Paulo Fabriny Medeiros.

Leia mais:  Bandidos invadem boate, rendem funcionários e roubam R$ 4 mil do caixa

A boa disposição em colaborar, entendeu o juízo da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, foi demonstrada também pela entrega do passaporte, mostrando que não pretende mais se ausentar e furtar-se à aplicação da lei. Ademais, como o TJMT já estendeu a liberdade provisória aos demais investigados no mesmo caso, com substituição por cautelares alternativas, ele entendeu que não havia mais os motivos autorizadores da prisão preventiva.

“Contudo, nesta oportunidade, o que me comove é o fato do custodiado ter se apresentado para se submeter à ação da justiça, bem como o fato de que o órgão de Segundo Grau Superior ter modulação aos demais investigados. Assim, concedo a liberdade provisória ao investigado Marcelo Ledra Garcia, mediante as condições fixadas pelo Tribunal de Justiça aos demais acusados”, escreveu.

Bacat viu suas operações ruírem quando investigadores da PJC bateram à porta de sua empresa no dia 23 de agosto deste 2019, em cumprimento aos mandados judiciais de busca e apreensão expedidos no âmbito da Operação Liber Pater, deflagrada por uma das equipes da Defaz (Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública). Durante a Liber Pater, foram expedidos 11 mandados de prisão e 37 ordens de busca e apreensão.

Leia mais:  Presos têm visitas suspensas após morte de líder do Comando Vermelho

A PJC justificou que a Liber Pater foi aberta para apurar a sonegação fiscal feita durante a comercialização dos ultradestilados vendidos por outros estados sem nenhum tipo de regulamentação fiscal, com notas frias ou sem nota alguma, além de simular vendas para outros estados só para não pagar ICMS, apesar de vender tudo aqui. As medidas cautelares a que Marcelo será obrigado são: comparecimento bimestral em juízo para informar e justificar suas atividades; manter atualizado seu endereço, comunicando imediatamente ao juízo qualquer alteração; comparecimento a todos os atos do processo; monitoramento eletrônico, proibição de se ausentar da Comarca de Cuiabá sem prévia autorização do juízo; proibição de manter contato, por qualquer meio, com os demais investigados.

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil prende 4 em MT por golpe em morador de Goiás

Publicado

A Polícia Civil prendeu quatro pessoas suspeitas de aplicar um golpe pela internet contra uma vítima no Estado de Goiás. Os quatro foram autuados pelos crimes de estelionato e associação criminosa. A vítima sofreu um prejuízo superior a R$ 100 mil.

Na ação, os policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Rondonópolis também apreenderam veículos e uma motocicleta e recuperaram parte do dinheiro do golpe.

A prisão realizada após a Derf receber comunicação da Polícia de Goiás sobre o golpe denunciado pela vítima, que mora em Goiânia.

A vítima viu um anúncio de venda de um veículo no site OLX e entrou em contato com o anunciante, iniciando a negociação.

O anunciante então informou que um familiar seu mostraria o carro à vítima e o pagamento deveria ser transferido em duas contas-correntes. O anunciante pediu ainda que a vítima não comentasse nada sobre a transferência à pessoa que mostraria o veículo.

Após a transferência dos valores, a vítima foi com o rapaz, que mostrou o carro para lavrar o documento de venda, quando ambos descobriram que tudo não passava de um golpe.

Leia mais:  Polícia apreende pistolas e mais de R$ 40 mil em operação contra organização criminosa no Nortão

A vítima então entrou em contato com a Delegacia de Roubos e Furtos de Rondonópolis informando que as contas para as quais transferiu o valor do veículo eram da cidade.

Em diligências para localizar os suspeitos pelo golpe de estelionato, os policiais realizaram diligências em pontos diferentes da cidade. Um dos suspeitos foi localizado em uma loja de comércio de pneus, onde tentou fugir da abordagem policial.

Ele é apontado por outros presos como o responsável por organizar o golpe. A polícia apurou ainda que ele tem patrimônio incompatível com sua renda.

Outro suspeito que recebeu metade do dinheiro da suposta venda do veículo afirmou aos policiais que com parte do dinheiro recebido adquiriu uma motocicleta.

Durante as diligências, a Polícia Civil descobriu ainda que o dinheiro recebido no golpe da vítima de Goiânia foi distribuído em diversas contas bancárias. A investigação continua para apurar se há outras pessoas envolvidas e recuperar o dinheiro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Homem tenta roubar fios de cobre na Águas Cuiabá

Publicado

Um homem, cuja identidade não foi revelada, foi preso ao tentar furtar a Águas Cuiabá, na madrugada desta quinta-feira (23).

A Polícia Militar informou que o suspeito invadiu a concessionária e tentou furtar fios de cobre das bombas de água.

No entanto, funcionários da empresa flagraram o homem e acionaram a PM.

Os policiais realizaram a prisão do suspeito, que estava sob efeito de entorpecentes.

O criminoso foi encaminhado para a Central de Flagrantes, no Bairro Verdão.

Comentários Facebook
Leia mais:  Bandidos invadem Havan e furtam 281 aparelhos de celular
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana