conecte-se conosco


Internacional

Donald Trump impõe regra que dificulta pedido de asilo nos EUA

Publicado

G1

O governo de Donald Trump impôs nesta segunda-feira (15) uma regra interina, sem aprovação do Parlamento, para tornar mais difícil o processo de asilo nos Estados Unidos.

Pela regra, os estrangeiros que tentam entrar na nação pela fronteira sul do país precisam ter tentado asilo em um outro país, no caminho, que não os EUA.

Por exemplo, um imigrante que saiu do Haiti, passou pela Guatemala e México antes de chegar à fronteira precisará ter pedido proteção em ao menos um desses dois países para poder tentar obter o benefício nos EUA.

No texto da regra, há a justificativa de que houve um aumento dramático do número de imigrantes ilegais encontrados perto da fronteira com o México, e que, na mesma proporção, cresceram os pedidos de proteção de perseguição ou tortura em outros países.

Há dez anos, o órgão dos EUA responsável por analisar pedidos de asilo recebia 5% dos imigrantes que entravam nos EUA, e hoje, essa porcentagem está em cerca de 40%, de acordo com o texto da regra.

“O alto número de pedidos de asilo sem mérito representa um esforço extraordinário no sistema de imigração do país, torpedeia muitos dos propósitos humanitários do asilo, exacerbou a crise de tráfico de pessoas e afeta as negociações diplomáticas dos EUA com outros países.”

Presidente dos EUA, Donald Trump, fala a jornalistas na Casa Branca nesta segunda-feira (15) — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Presidente dos EUA, Donald Trump, fala a jornalistas na Casa Branca nesta segunda-feira (15) — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Operações foi ‘sucesso’, diz Trump

Trump também disse nesta segunda-feira que as operações para deter imigrantes clandestinos foram “muito bem sucedidas”. No entanto, não há dados de quantas pessoas as autoridades migratórias norte-americanas detiveram.

“Muitos, muitos foram detidos no domingo, vocês só não sabiam disso. Foi um dia muito bem sucedido, mas vocês não viram muito”, afirmou Trump a jornalistas na Casa Branca.

Veículos de comunicação locais, como CNN e Fox News, indicaram por volta do meio-dia que agentes do Serviço de Imigração e Controle Alfandegário (ICE, sigla em inglês) estavam atuando de acordo com o previsto, citando fontes não identificadas desta força. Mas não houve notícias de nenhuma operação significativa nas ruas.

Foi anunciado que cerca de 2 mil imigrantes sem documentos seriam detidos em pelo menos uma dezena de cidades. Ativistas patrulharam várias cidades no domingo para documentar qualquer prisão e oferecer assistência aos possíveis detidos.

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Imprensa internacional destaca demissão de Teich como “crise” no Brasil

Publicado

por

O pedido de demissão do ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, recebeu destaque nos principais sites da imprensa mundial. Teich pediu demissão menos de um mês depois de assumir o cargo e sai após entrar em choque com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

O jornal norte-americano The New York Times destacou logo no início do site, onde há um ao vivo sobre a pandemia do novo coronavírus, a demissão do ministro brasileiro. “Ministro da Saúde do Brasil deixa o cargo após menos de um mês após choques com Bolsonaro”, diz a chamada. O jornal destaca ainda a demissão do ministro anterior, Luiz Henrique Mandetta pelos mesmos atritos com o presidente da República.

O também norte-americano Washington Post segue a mesma Linha e destaca em seu ao vivo a notícia do País. “Brasil perde seu segundo ministro da Saúde em menos de um mês”, diz a chamada. A notícia ressalta o embate com Bolsonaro sobre o uso da cloroquina no tratamento da covid-19.

O espanhol El País, em sua versão Américas, colocou a notícia em sua manchete. “Ministro da Saúde do Brasil apresenta sua renúncia após menos de um mês no cargo”. Em seguida, o site destaca o número de quase 14 mil mortos e 206 mil casos confirmados no País.

Na página do inglês The Guardian, a notícia também aparece no destaque do ao vivo sobre a pandemia. “Brasil: segundo ministro da Saúde renuncia em menos de um mês enquanto as mortes por covid-19 aumentam”. O jornal chama a demissão de Teich de “repentina”.

América Latina

A imprensa da América Latina também destaca a demissão de Teich. O argentino Clarín afirma: Situação no Brasil: renunciou o segundo ministro da Saúde de Bolsonaro: ficou no cargo menos de um mês.”

Outro jornal argentino, o La Nación afirma “Crise: renunciou o ministro da Saúde de Bolsonaro menos de um mês depois de assumir”.

O El Comercio do Equador destaca a notícia como primeiro item do setor ao vivo: Ministro da Saúde do Brasil renuncia após incompatibilidades com Jair Bolsonaro.

O paraguaio ABC Color colocou na manchete da área Mundo a notícia sobre o Brasil. “Ministro da Saúde do Brasil se demite com a pandemia em pleno crescimento”.

(Com Agência Estado)

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Mato-grossenses incendeiam casa de deputada e ficam gravemente queimados; um morre

Publicado

por

Um brasileiro morreu e outros dois estão em estado grave por conta de queimaduras pelo corpo, de 2º e 3º graus, após incendiarem uma residência no povoado de San Matias, no início da madrugada desta última quarta-feira(1º), na fronteira da Bolívia com o Brasil.

 

San Matias está a 1300 km a leste de La Paz e fica na fronteira com Brasil próximo de Cáceres, cidade localizada no médio oeste de Mato Grosso.

 

De acordo com o site Caceres Notícias, os brasileiros tinham a intenção de roubar a residência da deputada departamental, Ceidy Carreño, em São Matias. Populares que assistiram à tragédia revelaram à polícia boliviana, que o grupo teria ateado fogo na residência da deputada e o combustível usado no incêndio, acabou por incendiar um dos galões que os três brasileiros carregavam. Quando o fogo espalhou, acabou queimando-os.

 

As vítimas foram internada no Hospital Regional de Cáceres, mas Thiago Garcia Galha, 26 anos, de Mirassol D’Oeste, cidade próxima à Cáceres, que chegou com 90% do corpo com queimaduras, não resistiu e morreu. Seu corpo já foi encaminhado ao Instituto Médico Legal( IML) de Cáceres.

 

Também corre grave perigo de morte, o menor Victor Benedito Lopes Pagano, de 17 anos, que se encontra com 80% do corpo com queimaduras, de 2º e 3º graus. Um terceiro  estaria no box de emergência, também no hospital de Cáceres, com quadro grave.

 

Ainda de acordo com informações veiculadas pelo site, por meio de vídeo, o prefeito de San Matias, Fábio Lopes Olivares, revelou que a Polícia Nacional boliviana continua em busca de mais informações.

 

E que conta com ajuda, nas investigações, do Grupo Especial de Fronteira[Gefron] e da Polícia Federal de Cáceres.

 

Em um trecho do vídeo o prefeito declara que não houve, em nenhum momento, envolvimento de algum boliviano, no acidente que ocasionou queimaduras nos brasileiros, ‘estariam na cidade boliviana com intuito de roubar. E acabaram envolvidos no próprio incêndio que propagaram’.

 

“Queremos declarar que ninguém foi queimado por cidadãos bolivianos e sim eles próprios se envolveram no incêndio provocado, e todos os socorros foram feitos para que os envolvidos pudessem serem salvos os primeiros socorros foram feitos ainda no atendimento médico em San Matias e depois as ambulâncias levaram todos os envolvidos até a cidade de Cáceres onde recebem os os socorros. Porém, um dos envolvidos não resistiu”. (Veja vídeo)

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana