conecte-se conosco


Policial

Especialista: empresário errou ao não prever risco e reagir atirando

Publicado

O instrutor de defesa pessoal e tiro da FH Treinamentos Especiais, Sávio Pellegrini, avaliou que o empresário Valdir Aparecido Farinha, 60 anos, morto por um bandido na quarta-feira em Rondonópolis, deveria ter ficado atento ao estar na rua e corrido assim que o bandido se aproximou.

Valdir, que também era presidente do Conselho de Segurança de Rondonópolis, foi assassinado na frente de casa quando conversava com a eposa e um casal de amigos.

De acordo com Pellegrini, que estudou o vídeo do crime, o primeiro passo para preservar a vida é a prevenção. Nesta etapa, a pessoa deve estar atenta ao ambiente para poder identificar e antecipar situações de risco.

“Pelo vídeo, podemos dizer que eles estavam no meio da rua, era de noite, não muito tarde, fora de uma residência, com portão aberto. Estavam conversando, ninguém ali estava atento ao ambiente a sua volta”, analisou o especialista.

Em seguida, mesmo tendo falhado na primeira parte, é necessário reagir de forma consciente, segundo o instrutor.

“Sobrou a parte que a gente chama de reação, mas ele reagiu erroneamente. A reação era se afastar da ameaça. O infrator estava com arma na mão, a vítima nunca ia ser mais rápida do que uma pessoa com arma na mão sacando ainda para atirar e foi o que aconteceu”.
A reação, no caso deles, não teria que ficar ali parado, teria que correr. Afastar-se do perigo

Neste caso, Pellegrini recomenda que as vítimas devam correr ou atender ao pedido do assaltante e entregar os bens.

“A reação, no caso deles, não teria que ficar ali parado, teria que correr. Afastar-se do perigo, mas para isso tinha que ter visto o perigo”.

“É um roubo, a pessoa pediu: ‘Dá o carro!’, ele tinha que ter dado a chave do carro. Isso é uma reação inteligente. Não necessariamente a reação tem que ser armada”, completou.

Conforme o instrutor, o objetivo básico da defesa pessoal é a pessoa manter a vida e evitar confrontos que não se pode ganhar.

“A ideia é ficar vivo, a ideia não é confrontar, não é dar tiro em ninguém. Esse é o ponto principal”.

Ainda segundo a análise por meio do vídeo, o especialista acredita que o empresário não tinha noções básicas de defesa, caso contrário não teria colocado sua vida em risco.

“Ele achou que a única solução do problema dele era reagir armado e deu errado. A reação armada tem que ser muito treinada, não daquela forma. Ele pode até saber manusear a arma, mas talvez não tivesse condições de confrontar”, apontou Pellegrini.

O caso

As cenas do tiroteio foram captadas por uma câmara de segurança. Farinha trocou tiros com o criminoso e acabou sendo atingido durante o confronto.

Ele estava na calçada conversando, na companhia de amigos, quando um bandido armado se aproximou do grupo, caminhando, e apontando uma arma em direção a eles.

Uma das testemunhas relatou que o criminoso anunciou o assalto e que iria levar o carro. Neste momento, o empresário reagiu atirando.

Pelas imagens é possível ver que Valdir chega a cair no chão durante o confronto e o ladrão, de longe, continua tentando atingi-lo.

Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionada, mas o presidente da Conseg já estava sem vida.

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Hospital Veterinário é invadido pela segunda vez em 2 dias

Publicado

Em menos de dois dias, bandidos arrombaram o Hospital Veterinário (Hovet) da UFMT pela segunda vez. O crime ocorreu na noite de segunda-feira (17) e a primeira invasão foi na madrugada de domingo (16).

 

A presidente do Centro Acadêmico de Medicina Veterinária, Helena Aimee Santos Lima, de 21 anos, disse que ela e mais um grupo de estudantes flagraram dois suspeitos pulando a janela do centro cirúrgico, por volta das 19h.

 

Ela relatou que estava com os colegas reunidos na cantina do hospital organizando um protesto, em prol de mais segurança no campus, quando avistaram os criminosos saindo da sala.

 

“A gente estava fazendo uma reunião na cantina do Hospital quando vimos dois rapazes pulando de dentro do hospital para fora e saindo”, afirmou.

 

Imediatamente, os universitários tiraram fotos e um grupo saiu para procurar pelos seguranças da UFMT. A Polícia Militar também foi acionada, mas até que chegassem levou cerca de 40 minutos. Nenhum segurança da instituição foi localizado.

 

Enquanto isso, a dupla foi seguida por outros alunos para não fugirem. Eles foram localizados no Restaurante Universitário.

 

“Com medo dos dois irem embora, fomos até o Restaurante Universitário e ficamos observando. Tudo isso demorou uns 40 minutos até que a Polícia chegou e abordou-os”, disse Helena.

 

Em revista pessoal, os militares não encontraram nenhum objeto de furto e a dupla foi liberada. Na manhã de hoje, os estudantes encontraram a sala revirada novamente e o aparelho de ar-condicionado foi danificado.

 

Mesmos invasores

 

A presidente estudantil disse acreditar que os suspeitos sejam os mesmos autores da invasão no domingo, pois entraram pela mesma janela.

 

“A gente suspeita que possam ter sido eles. Eles tentaram entrar pela janela e quebraram o ar do centro cirúrgico de novo, pelo mesmo lugar. E nesse lugar que eles entraram não tem câmeras”, explicou Helena.

 

Ainda não se sabe o prejuízo total e não há expectativas para reabertura do Hospital Veterinário. A jovem disse lamentar a perda, que afeta toda a população que depende dos serviços.

 

“Aqui é o único lugar especializado que atende animais silvestres. Quando a gente tem que encaminhar, eles vão para o Batalhão Ambiental e lá não tem médico veterinário”, disse.

 

Insegurança na UFMT

 

Ainda conforme a universitária, o setor de equoterapia da UFMT também foi alvo de furto, há duas semanas.

 

Na ocasião, os suspeitos levaram cinco ventiladores, sacos de ração e ainda tentaram fugir com uma égua.

 

Um boletim de ocorrência também foi registrado à época, mas ninguém foi preso até o momento.

 

Segundo a jovem, a reitora Myrian Serra disse, em reunião com a comunidade acadêmica, que precisou reduzir o número de agentes no campus devido ao corte de gastos anunciado no ano passado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

“Eles [reitoria] tiveram que reduzir a segurança. Então os seguranças estão sobrecarregados, estão cobrindo uma área muito grande”, afirmou.

 

Por conta disso, a comunidade acadêmica protestou por mais segurança no campus, na tarde desta terça-feira (18).

 

Cerca de 70 professores e alunos se reuniram em frente ao Hovet, por volta das 14h, e seguiram para a Reitoria, onde exigiram intensificação na segurança, principalmente, à noite.

 

Alvo de furto

 

Conforme MidiaNews noticiou nesta terça-feira (18), o diretor do Hospital Veterinário da UFMT, Richard Pacheco, acredita que os bandidos que invadiram o local no domingo tinham a intenção de furtar equipamentos e materiais de valor.

 

Os criminosos arrombaram uma janela, entraram no centro cirúrgico e reviraram a sala na madrugada.

 

“A gente achou que fosse vandalismo no domingo, porque não tinha como verificar o que foi furtado. Eles destruíram o centro cirúrgico, mas a tentativa foi de furto mesmo”, afirmou.

 

Segundo Pacheco, ele e a equipe do hospital encontraram diversos materiais de cirurgia jogados atrás do prédio, próximo à janela por onde os criminosos entraram.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Bandido é baleado e dois são presos após trocar tiros com a polícia em Cuiabá

Publicado

Dois criminosos foram presos e um acabou baleado na noite dessa segunda-feira (17) na região do Bairro Araés, em Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, um grupo de policiais tentou abordar quatro homens que estavam em atitude suspeita no local.

Um deles estava armado, reagiu e trocou tiros com os policiais. A polícia suspeita que eles haviam cometido um assalto momentos antes.

Os suspeitos estavam na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA), na capital mato-grossense.

De acordo com a PM, os suspeitos conseguiram fugir nessa primeira abordagem, no entanto, um reforço policial foi enviado até a região e o grupo foi rendido.

Dois acabaram presos, um baleado e um quarto suspeito conseguiu fugir.

O suspeito ferido, de 20 anos, foi atingido por dois tiros. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Municipal de Cuiabá.

Ainda conforme a PM, o suspeito continua internado nesta terça-feira (18). Quando tiver alta, ele será levado para a Central de Flagrantes de Cuiabá.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana