conecte-se conosco


Governo

Estado começa construção de 200 leitos no Hospital Metropolitano

Publicado

O Governo do Estado começou, nesta segunda-feira (23), as obras para construir 200 leitos no Hospital Metropolitano, em Várzea Grande. A unidade será a referência estadual para atendimento dos casos graves de Coronavírus. Ao todo, a unidade ficará com 260 leitos, já que atualmente o local conta com outros 60 leitos.

As cirurgias bariátricas, de ortopedia e demais procedimentos de alta complexidade que o Metropolitano realiza serão deslocadas para outras unidades, conforme a determinação do governador Mauro Mendes.

“O nosso desafio é fazer, no menor espaço de tempo possível, uma obra de mais de 200 leitos que serão construídos aqui. Esse hospital, dentro de poucas semanas, vai estar com capacidade para atender 260 pessoas que estiverem em situação grave”, afirmou o governador.

 

Mendes ressaltou que a unidade é ampliada para atender os casos graves e alertou que, para os casos mais amenos, a população deverá continuar a buscar as UPAs e policlínicas, de modo a não congestionar o sistema.

 

“Aqui serão somente os casos graves. Se Deus quiser, não ocorrerá. Mas se acontecer, o Governo do Estado estará aqui trabalhando para criar, em tempo recorde, mais 200 leitos para tratar pessoas que eventualmente possam ter casos graves relacionados ao Coronavírus”, explicou.

 

A previsão é que a obra seja finalizada em no máximo duas semanas. Durante todo o final de semana, o governo esteve reunido com engenheiros e a construtora para que fosse feito o projeto e alternativas mais rápidas, no caso de materiais, para a execução da obra.

 

Além dessa obra, o Governo já suspendeu todas as cirurgias eletivas nos hospitais regionais para ampliar a capacidade de atendimento dos casos de coronavirus.

Comentários Facebook
publicidade

Governo

Mendes alfineta “especialistas” que têm criticado aumento de gratificações

Publicado

O governador Mauro Mendes (DEM) rasgou o verbo na manhã desta terça-feira (19), às pessoas que criticam o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 24/2020, a Mensagem 50/2020, que prevê o aumento na gratificação concedida a servidores efetivos que ocupam cargos em comissão e funções de confiança, aprovado pelos deputados estaduais na última semana.

Entre os críticos ao projeto, está o deputado Ulysses Moraes (PSL). Nas redes sociais, o parlamentar fez vários vídeos se posicionado contrário, alegando prejuízos ao Estado, além de chamar a proposta de imoral, por ter tramitado no período da pandemia do coronavírus.

Temos que reconhecer que hoje as redes sociais e essa comunicação criou uma verdadeira loucura, uma histeria coletiva. Aparece um maluco, vai lá e faz uma gravação de um vídeo, distorce fatos e ninguém tenta entender, ninguém lê as coisas e a partir daí todo mundo vira especialista, fala, comenta, ‘mete o pau’ e conversa fiado e isso é com diversos temas”, disse o governador durante entrevista à rádio Jovem Pan.

Para o governador, as pessoas tiram as próprias conclusões a partir de mensagens que circulam em grupos de WhatsApp.

“As pessoas veem uma manchete e não leem a matéria, vê um post de WhatsApp e todo mundo faz um barulho danado, emite opinião e tem um comportamento, às vezes, raso e é um comportamento social predominante com essa quantidade de informação. Quando aparece um texto longo elas não leem, elas veem aquelas ‘mensagenzinhas’ e quanto mais baixa a comunicação, quanto mais o cara xinga, fala bobagem as pessoas gostam disso”, declarou.

Sobre o Projeto de Lei

Mendes explicou que o Projeto de Lei não eleva aumento de salário de servidores. Na prática, o PLC permite que haja o aumento nas gratificações dos servidores enquadrados na normativa e, por conta disso, promove uma consequente elevação no valor final recebido pelos beneficiados.

O gestor destacou ainda a extinção de 4.183 cargos existentes na estrutura do Poder Executivo Estadual, o que vai gerar uma economia potencial de R$ 221 milhões por ano aos cofres públicos.

“O corte nos cargos faz parte da mesma lei que regulou os valores recebidos por servidores efetivos quando ocupam cargos comissionados, para evitar a contratação desnecessária de servidores em comissão. Com a aprovação, ao invés de o Estado contratar um grande número de comissionados, sem vínculo com o Estado, e pagar o valor integral do DGA, pode optar por usar os efetivos, pagando uma porcentagem adequada”.

O democrata ainda destacou que pegou o Estado devendo mais de R$ 3 bilhões, com 13º aos servidores atrasado, parcelando salários, devendo fornecedores, prefeituras e demais Poderes.

“Em pouco mais de um o governo está com salário em dia. Eu não fiz isso sozinho, fiz com equipe, com pessoas, com servidores, com medidas acertadas um pouco duras as vezes e concertamos. E para isso tem que ter o tratamento correto com quem ocupa cargos importantes”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Governo

Após carreata, governo atende empresários do Turismo e programa nova reunião

Publicado

O governo estadual informou por meio de nota, no início da tarde desta segunda-feira (18), que recebeu uma pauta de reinvindicações dos empresários do setor turístico em Mato Grosso, após a realização de uma carretada organizada pelo segmento do Centro de Eventos do Pantanal até o Palácio Paiaguás.

O grupo pede um auxílio emergencial do governo, a isenção do IPVA e maior facilidade na linha de crédito ofertada pelo programa Desenvolve MT para enfrentar o período da pandemia da Covid-19, o coronavírus.

“O Governo do Estado recebeu, nesta segunda-feira (18), representantes do setor de transporte turístico, que apresentaram uma pauta de reivindicações, por conta da paralisação do setor em razão da pandemia do novo coronavírus. A reunião teve e presença dos deputados estaduais Dilmar Dal Bosco (líder do governo na Assembleia) e Faissal Calil (PV)”, diz trecho da nota.

Os pedidos serão analisados e uma nova reunião deverá ser marcada nos próximos dias pelo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Sobre a solicitação da linha de crédito, o governo declarou que já disponibilizou, por meio do Desenvolve MT, linhas de crédito emergenciais de até R$ 100 mil para microempreendedores individuais, microempresas e empreendedores do trade turístico.

“A medida é justamente voltada ao enfrentamento dos impactos financeiros do coronavírus na economia, objetivando a manutenção dos negócios do setor turístico”, destaca.

Carreta

O grupo formado por 150 veículos entre ônibus, micro-ônibus e vans saiu do Centro de Eventos do Pantanal, seguiu pela Avenida dos Historiadores Rubens de Mendonça, mais conhecida como Avenida do CPA, passando pela Assembleia Legislativa até o Palácio Paiaguás, no Centro Político e Administrativo.

“Não temos serviço e precisamos trabalhar. Não tem voo, não tem turismo, trabalhamos com grupos de pessoas, mas está proibido aglomeração tudo isso é trabalho. O segmento vai morrer. Imagina ficar um ano sem trabalhar porque não tem perspectiva de que vai voltar ainda esse ano”, disse Roberto Albuquerque.

Confira nota na íntegra:

“O Governo do Estado recebeu, nesta segunda-feira (18.05), representantes do setor de transporte turístico, que apresentaram uma pauta de reivindicações, por conta da paralisação do setor em razão da pandemia do novo coronavírus. A reunião teve e presença dos deputados estaduais Dilmar Dal Bosco (líder do governo na Assembleia) e Faissal Calil (PV).

Os pedidos serão analisados pelo governo e uma nova reunião deverá ser marcada nos próximos dias, pelo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Vale destacar que o Governo já disponibilizou, através do Desenvolve MT, linhas de crédito emergenciais de até R$ 100 mil para microempreendedores individuais, microempresas e empreendedores do trade turístico (hotéis, pousadas, bares, restaurantes e similares). A medida é justamente voltada ao enfrentamento dos impactos financeiros do coronavírus na economia, objetivando a manutenção dos negócios do setor turístico”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana