conecte-se conosco


Governo

Governo irá comprar 600 respiradores na China para tratar pacientes com coronavírus

Publicado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), anunciou no final da tarde desta segunda-feira (23) que irá buscar na China, país onde começou o Covid-19, suporte para atender quadros mais graves do coronavírus em Mato Grosso. O governo pensa em adquirir 600 aparelhos respiradores. De acordo com a pasta, em todo o estado existem mil Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), sendo 600 particulares e outros cerca de 400 da rede pública de saúde.

“Nós estamos fazendo uma intensificação para aquisição de respiradores, algo em torno de 600 novos equipamentos que serão utilizados não apenas nos novos leitos de UTI, mas também nas enfermarias porque existe um trabalho inicial na parte clínica do paciente quando chegar com o agravamento e que inicialmente é feito nas enfermarias. Isso é número pequeno, só 3,5% dos pacientes serão encaminhados à UTI”, explicou o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo.

Os respiradores serão disponibilizados, também, aos 200 novos leitos no Hospital Metropolitano, no município de Várzea Grande, que irá atender pacientes com casos graves de coronavírus. O objetivo é finalizar a obra o mais rápido possível e deixar a estrutura 100% pronta para receber os pacientes diagnosticados com Convid-19 que precisem de atendimento. O prazo estimado para conclusão da obra é de aproximadamente duas semanas.

“Independente de estar na UTI, precisamos dos respiradores por precaução, pois um dos sintomas do vírus é a falta de ar. Porém, não dá para comprar assim aleatoriamente porque os aparelhos tiveram alta no preço e chega hoje a R$ 60 mil. E por isso, temos hoje um integrante da nossa equipe na China para negociar essa compra”, disse o gestor, durante ‘live’ transmitidas nas redes sociais.

Outro assunto abordado pelo secretário, refere-se aos kits de testes do Ministério da Saúde. Por enquanto, o Estado conta com 100 kits semanais. De acordo com o secretário, a capacidade era limitada devido ao número de kits (100 unidades) destinados para Mato Grosso.

“Mas o Ministério da Saúde está somando esforços para resolver isso e fazendo uma grande importação desse material, inclusive de kits de testes rápidos que serão utilizados para melhorar nossa eficiência na detecção de casos positivos e depois para acompanhamento intra-hospitalar  de todos os profissionais que estarão atuando na área da saúde, no atendimento aos paciente possivelmente infectados pelo coronavírus ”, informou o secretário.

O número de pessoas monitoradas, supostamente acometidas pelo coronavírus, Covid-19, saltou de 183 para 210, ou seja, 27 casos a mais. Há também 6 casos confirmados do vírus envolvendo duas mulheres e três homens, todos abaixo de 60 anos.

Mato Grosso já prepara os Hospitais Regionais e a Santa Casa para recebimento de possíveis pacientes. Respaldada por notificação coercitiva, emita pelo Ministério Público Estadual (MPMT), todos os hospitais particulares e públicos terão que repassar à SES os casos que chegarem às respectivas unidades de saúde.

Isolamento

Novamente, o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo fez apelo à população para que fique em suas residências, juntamente com a família e só saia em casos de extrema urgência. Ele ressalta que quadro de gripes e resfriados devem ser tratados em casa. “Porque nas unidades podem ter pessoas contaminadas. Se todos procurarem pelos hospitais sem um motivo aparente, ao invés de combater, vai proliferar. Mas, acreditamos que essa situação será controlada o quanto antes. Não é a primeira e nem será a última”, concluiu.

Comentários Facebook
publicidade

Governo

Estado retoma obra iniciada há 11 anos e que já consumiu R$ 11 milhões

Publicado

por

O governador Mauro Mendes garantiu “requinte de qualidade” para a Escola Técnica Estadual (ETE) de Cuiabá, cuja ordem de serviço foi assinada na tarde desta segunda-feira (01.06).

A assinatura ocorreu na própria unidade, cujas obras estavam paralisadas, no bairro Carumbé. Participaram da solenidade os secretários Nilton Borgatto (Ciência e Tecnologia) e Mauro Carvalho (Casa Civil), além do deputado Wilson Santos.

A obra foi iniciada em 2009, quando foi assinado um convênio com o Governo Federal. De lá para cá, mais de R$ 10,9 milhões foram investidos, mas a obra nunca foi finalizada.

O novo prédio contará tem 12 salas de aula, 11 laboratórios, um laboratório especial, um auditório com capacidade para 150 pessoas, quadra poliesportiva, biblioteca, centro de vivências (refeitório e jardim) e salas para o administrativo pedagógico. Ao todo, a nova escola técnica contará com uma área de 5.577 metros quadrados.

“Está previsto inicialmente mais R$ 2,5 milhões para conclusão. Andei por aqui e já pedi algumas melhorias. Os nossos hospitais e tudo aquilo que estamos fazendo tem um padrão de qualidade, e não vou admitir entregar uma obra sem esse requinte de qualidade, em respeito às pessoas que estarão trabalhando e estudando aqui”, afirmou o governador.

Além da escola técnica em Cuiabá, Mauro Mendes destacou que outras três escolas técnicas estão sendo reiniciadas no estado, nos municípios de Cáceres, Primavera do Leste e Água Boa.

“Só iniciamos ou reiniciamos qualquer obra quando temos 100% de certeza que teremos dinheiro para terminar. Estas quatro obras são praticamente idênticas e devem ser concluídas nos próximos meses”, ressaltou.

Para o secretário Nilton Borgato, a conclusão da unidade vai contribuir muito para o desenvolvimento da educação e da qualificação profissional em Mato Grosso.

“É um momento ímpar que era aguardado há muito tempo. Agradeço ao governador pela sensibilidade em reiniciar essa importante obra”, disse.

O deputado Wilson Santos também pontuou que um estado que se desenvolve tão rapidamente como Mato Grosso precisa dessas iniciativas do Governo para formar profissionais capacitados.

“Além de entregar essa belíssima escola técnica, também serão concluídas muitas unidades das escolas técnicas cujas obras se arrastam há anos”, declarou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Governo

Mendes alfineta “especialistas” que têm criticado aumento de gratificações

Publicado

por

O governador Mauro Mendes (DEM) rasgou o verbo na manhã desta terça-feira (19), às pessoas que criticam o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 24/2020, a Mensagem 50/2020, que prevê o aumento na gratificação concedida a servidores efetivos que ocupam cargos em comissão e funções de confiança, aprovado pelos deputados estaduais na última semana.

Entre os críticos ao projeto, está o deputado Ulysses Moraes (PSL). Nas redes sociais, o parlamentar fez vários vídeos se posicionado contrário, alegando prejuízos ao Estado, além de chamar a proposta de imoral, por ter tramitado no período da pandemia do coronavírus.

Temos que reconhecer que hoje as redes sociais e essa comunicação criou uma verdadeira loucura, uma histeria coletiva. Aparece um maluco, vai lá e faz uma gravação de um vídeo, distorce fatos e ninguém tenta entender, ninguém lê as coisas e a partir daí todo mundo vira especialista, fala, comenta, ‘mete o pau’ e conversa fiado e isso é com diversos temas”, disse o governador durante entrevista à rádio Jovem Pan.

Para o governador, as pessoas tiram as próprias conclusões a partir de mensagens que circulam em grupos de WhatsApp.

“As pessoas veem uma manchete e não leem a matéria, vê um post de WhatsApp e todo mundo faz um barulho danado, emite opinião e tem um comportamento, às vezes, raso e é um comportamento social predominante com essa quantidade de informação. Quando aparece um texto longo elas não leem, elas veem aquelas ‘mensagenzinhas’ e quanto mais baixa a comunicação, quanto mais o cara xinga, fala bobagem as pessoas gostam disso”, declarou.

Sobre o Projeto de Lei

Mendes explicou que o Projeto de Lei não eleva aumento de salário de servidores. Na prática, o PLC permite que haja o aumento nas gratificações dos servidores enquadrados na normativa e, por conta disso, promove uma consequente elevação no valor final recebido pelos beneficiados.

O gestor destacou ainda a extinção de 4.183 cargos existentes na estrutura do Poder Executivo Estadual, o que vai gerar uma economia potencial de R$ 221 milhões por ano aos cofres públicos.

“O corte nos cargos faz parte da mesma lei que regulou os valores recebidos por servidores efetivos quando ocupam cargos comissionados, para evitar a contratação desnecessária de servidores em comissão. Com a aprovação, ao invés de o Estado contratar um grande número de comissionados, sem vínculo com o Estado, e pagar o valor integral do DGA, pode optar por usar os efetivos, pagando uma porcentagem adequada”.

O democrata ainda destacou que pegou o Estado devendo mais de R$ 3 bilhões, com 13º aos servidores atrasado, parcelando salários, devendo fornecedores, prefeituras e demais Poderes.

“Em pouco mais de um o governo está com salário em dia. Eu não fiz isso sozinho, fiz com equipe, com pessoas, com servidores, com medidas acertadas um pouco duras as vezes e concertamos. E para isso tem que ter o tratamento correto com quem ocupa cargos importantes”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana