conecte-se conosco


Jurídico

Investigado confessa participação em quadrilha e delata comparsas

Publicado

Gazeta Digital

O acusado João Henrique Sales de Souza, preso na Operação Mantus, confessou seu trabalho para a empresa Ello FMC, de Frederico Muller Coutinho. Ele também delatou comparsas, como afirmou o delegado Flávio Stringueta, da Gerência de Combate do Crime Organizado (GCCO).

O acusado trabalhava em Rondonópolis e foi detido no dia 29 de março, durante a deflagração da Operação.
O policial não informou detalhes da confissão, apenas a confirmou.

“Muitas vezes quem está na ponta não sabe direito como tudo funciona. Quem ganha dinheiro são os líderes. Os outros ganham só pra sobreviver. Não dá para a pessoa trabalhar na ilegalidade, se dispor a ser preso para ganhar tão pouco. É ridículo, acho que fazia isso para não morrer de fome, porque não tinha outra coisa.

O delegado relatou que o réu acusado ganhava cerca de R$ 5 mil com a prática delituosa.

Conforme a Stringueta, os envolvidos recebem uma porcentagem sobre as vendas das aposta, percentual que não foi divulgado.

Na oportunidade o delegado ainda rebateu o advogado Matheus Lima, que acusou a polícia de não ter provas na investigação.

Leia mais:  STF cassa liminar e delegado condenado deverá voltar à prisão

“Os advogados sempre buscam uma forma de desmerecer o trabalho da polícia. Mas é bom ter esse advogados no caso, que isso só torna a apuração mais robusta”, informou.

Comentários Facebook
publicidade

Jurídico

Barbudo deve anunciar candidatura após TSE publicar acórdão

Publicado

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) deve oficializar sua pré-candidatura ao Senado, na eleição suplementar que ocorrerá em Mato Grosso em 2020, assim que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicar a decisão que cassou o mandato da senadora Selma Arruda (Podemos).

Segundo apurou a reportagem, Barbudo acredita ter viabilidade eleitoral suficiente para concorrer ao cargo. Na eleição de 2018, ele foi o candidato a federal mais votado no Estado, com 126.249 votos.

“Ele vai colocar o nome, mas só fará isso quando houver o acórdão. Ele tem sido coerente desde o início em não falar disso sem que haja a vaga”, disse uma fonte ouvida pela reportagem.

Dentro do PSL, entretanto, Barbudo pode ter duas frentes de resistências. Além dele, o deputado estadual Claudinei Lopes afirmou ter a intenção de concorrer ao cargo caso consiga o apoio que julga necessário.

“Eu não descarto. É uma possibilidade. Se a gente tiver apoio dos colegas, não só do PSL, mas de outros que estamos sempre em contato”, disse ao MidiaNews.

Leia mais:  Homem que atropelou motociclista terá que pagar R$ 120 mil

Já outro empecilho é se o presidente nacional do PSL, deputado federal Luciano Bivar, irá ou não interferir na escolha do nome do partido para a disputa.

Isso porque, tanto Barbudo quanto Claudinei já anunciaram que irão seguir o presidente Jair Bolsonaro para o partido Aliança pelo Brasil, assim que este for criado.

Com isso, o temor é que Bivar retalhe ambos no Estado e escolha um nome que ficará no PSL.

A reportagem tentou contato com Barbudo e com Bivar, mas ambos não atenderam as chamadas em seus celulares.

A cassação

Selma e seus suplentes Gilberto Eglair Possamai e Clérie Fabiana Mendes foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) em abril deste ano por omitir despesas na ordem de R$ 1,2 milhão durante a pré-campanha e campanha de 2018, o que configura caixa 2 e abuso de poder econômico.

Os gastos foram identificados na contratação da KGM, empresa de pesquisa eleitoral, e a Genius Publicidade.

Na noite de terça-feira (10), o Tribunal Superior Eleitoral confirmou a cassação, por 6 votos a 1.

Leia mais:  Rival de Arcanjo é interrogado pela Defaz, mas fica em silêncio

Os ministros também decretaram a inelegibilidade de Selma e seus suplentes por um prazo de oito anos, além da realização de novas eleições em Mato Grosso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Jurídico

MPE faz leilão e veículos podem ser arrematados por R$ 499

Publicado

Conforme informações do MPE, o leilão será presencial e os lances serão dados a partir das 9h, no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça. Servidores do órgão não poderão participar das ofertas.

 

A lista de veículos inclui 1 Celta (2006/2007), 1 Corsa Sedan Classic (2009/2010), 1 Hilux SW4 (2006/2006), 1 Celta (2006/2007), 1 Ranger XL (2004/2005), 2 Uno Mille (2005/2005 e 2010/2011), 13 Honda CG 125, 4 Honda NXR 150, e 10 Yamaha YBR 125.

Quem quiser ver os veículos deve fazer agendamento na Gerência de Manutenção e Transportes, nos telefones (65) 3613-1624 / 5227.

 

O edital com a descrição dos produtos e valores de avaliação podem ser consultados no edital no site do MPE.  (Com informações da assessoria)

Comentários Facebook
Leia mais:  Júris populares em MT demoram mais de 9 anos para decisão
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana