conecte-se conosco


Internacional

Manifestantes vão às ruas de Londres para protestar contra visita de Trump

Publicado

G1

Manifestantes foram às ruas de Londres para protestar contra a visita oficial do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta terça-feira (4). Eles se concentraram na Trafalgar Square e próximo ao Parlamento.

O balão inflável que representa Trump de fraldas, com um topete e com um celular na mão voltou a ser utilizado pelos manifestantes. O boneco, que ficou conhecido como “Baby Trump”, causou polêmica na primeira viagem de Trump ao Reino Unido, em julho de 2018.

Em entrevista coletiva ao lado da premiê Theresa May, Trump afirmou ter visto apenas um pequeno protesto.

“Soube que havia protestos. Não vi nenhum. Vi um pequeno, muito pequeno. Muita parte disso são notícias falsas. Mas as pessoas mostraram a bandeira americana, a bandeira do Reino Unido. Há muito amor”, declarou.

Mal-estar com prefeito

Na época, a decisão do prefeito de Londres, Sadiq Khan, de liberar a utilização do inflável foi interpretada como uma hostilidade por parte dos apoiadores do presidente americano.

Desta vez, Khan, que é do Partido Trabalhista, criticou a recepção de Trump com todas as honras de uma visita de Estado. Pouco antes de chegar ao Reino Unido na segunda-feira (3), Trump respondeu, dizendo que ele faz um “péssimo trabalho como prefeito” e que era um “total perdedor”.

Em um vídeo publicado no Twitter na segunda-feira (3), o prefeito de Londres afirmou que os valores do presidente americano são opostos aos valores de Londres e do Reino Unido. “Nós achamos que a diversidade não é uma fraqueza. Nós respeitamos as mulheres e acreditamos que elas são iguais aos homens, e que é importante garantir os direitos de todos”, declarou.

Leia mais:  Fome cresce na América Latina e afeta 42,5 milhões de pessoas, diz ONU

Nesta terça, Khan disse à CNN que não ficou ofendido com as declarações de Trump. “Este é o tipo de comportamento que eu esperaria de um garoto de 11 anos. Ele precisa decidir como se comporta. Não me cabe responder de maneira semelhante”, afirmou.

Nesta terça, Trump voltou a criticá-lo, dizendo que Khan é uma “força negativa”. “Ele machuca as pessoas desse grande país e deveria se concentrar no trabalho dele”, afirmou.

‘Acordo comercial substancial’

Nesta manhã, Trump disse que espera alcançar um “acordo comercial muito substancial” com o Reino Unido após a saída dos britânicos da União Europeia (UE). A declaração foi dada ao lado da primeira-ministra britânica, Theresa May, e de empresários britânicos e americanos neste segundo dia de visita de Trump a Londres.

May abriu a discussão falando sobre a intenção de garantir um “acordo de comércio bilateral” com os Estados Unidos, algo que a o Reino Unido tenta fazer enquanto negocia o Brexit. “Acho que há grandes oportunidades para aproveitar”, declarou May.

“Acredito que teremos um acordo comercial muito, muito substancial”, afirmou Trump.

Trump também fez referência à saída de May do poder, que acontecerá na sexta-feira (7), e a parabenizou por ter feito um “trabalho fantástico”. “Eu não sei exatamente qual é o seu tempo, mas fique por perto, vamos fazer esse acordo [comercial]”, disse a ela.

Leia mais:  Trump provoca risos por erros históricos em discurso de 4 de Julho

Nesta terça, ele participou também de um encontro com Theresa May, em Downing Street, a residência oficial da premiê. Trump afirmou que os Estados Unidos estão comprometidos em fechar um acordo comercial fenomenal com o Reino Unido após a conclusão do Brexit.

“Há muito potencial, duas ou três vezes [em volume de negócios] do que fazemos hoje”, disse ele. Tudo está na mesa de negociação, segundo o presidente.

Primeiro dia de visita

Donald Trump chegou nesta segunda-feira (3) a Londres para uma visita de três dias ao Reino Unido. Ele foi recebido pela rainha Elizabeth II no Palácio de Buckingham, onde participou de um almoço com membros da realeza e, mais tarde, de um banquete.

A visita de três dias de duração ocorre no âmbito das comemorações do 75º aniversário do “Dia D”, quando as forças aliadas invadiram a Normandia ocupada na Segunda Guerra Mundial, iniciando o que se considera como o princípio do fim do domínio nazista na Europa.

Durante o primeiro dia em Londres, o presidente americano também visitou a galeria de arte do palácio de Buckingham e a Abadia de Westminster, onde o presidente depositou uma coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido.

Rainha Elizabeth II cumprimenta o presidente dos EUA, Donald Trump, ao chegar ao Palácio de Buckingham, em Londres, nesta segunda-feira (3) — Foto: Victoria Jones / Reuters

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Brasileiro é condenado à prisão perpétua no Reino Unido por matar ex-companheira

Publicado

G1

O brasileiro Ricardo Godinho, de 41 anos, foi condenado à prisão perpétua no Reino Unido por ter matado a ex-companheira, Aliny Mendes. A sentença, proferida na quinta-feira (18), determina que Ricardo deverá passar, no mínimo, 27 anos preso. Quando cumprir esse tempo, a pena de prisão perpétua poderá ser revista.

Segundo depoimentos feitos durante o julgamento, ele esfaqueou Aliny na frente da filha de 3 anos do casal, diz a BBC. Eles tinham outros três filhos, todos menores de 12 anos, e estavam separados desde dezembro passado.

O homicídio ocorreu na cidade de Ewell, cerca de 30km a sudoeste de Londres. No dia do crime, em 8 de fevereiro, Aliny estava indo buscar os outros filhos na escola, de ônibus, com a filha menor. Quando desceu do veículo, foi confrontada e assassinada por Ricardo, que tinha seguido o ônibus de carro.

“O ataque ocorreu em plena luz do dia”, afirmou o detetive Mark Chapman.

Ricardo foi acusado formalmente de assassinato no dia 10 de fevereiro, depois de ser preso. Um de seus colegas ligou para a polícia para informar que ele tinha confessado o crime, e o brasileiro também foi identificado por testemunhas oculares.

Leia mais:  Trump provoca risos por erros históricos em discurso de 4 de Julho

Um exame forense após a morte mostrou que Aliny Mendes morreu por ter sofrido várias facadas, informou a polícia de Surrey.

Em comunicado, a família da brasileira declarou que “Aliny era uma mulher linda, inteligente, feliz e carinhosa que era amada por tantas pessoas, tanto no Reino Unido quanto em seu país de origem, o Brasil. Os eventos 8 de fevereiro tiraram não apenas uma irmã, uma filha, uma neta e uma amiga, mas, mais importante, tiraram uma mãe carinhosa de seus quatro filhos pequenos”.

“O impacto que a morte de Aliny deixou em seus filhos é quase impossível de colocar em palavras”, disse a família. “Somos gratos por todos os esforços do sistema de justiça criminal, mas nenhuma sentença jamais substituirá ou trará de volta nossa bela Aliny ”.

“Quando as crianças ficarem doentes, a mãe não estará lá para acalmá-las, quando elas tiverem bons resultados na escola, a mãe não estará presente para elogiá-las, quando elas se apresentarem em uma peça escolar, a mãe não estará presente para aplaudi-las, e em aniversários, formaturas, dias de casamento e outros eventos importantes, sua mãe não poderá compartilhar a celebração e a alegria da ocasião”, declarou a família.

Leia mais:  A 'prisão da Fifa' em porão de estádio que recebe bêbados, brigões e torcedores com identidades falsas

‘Intenção de matar’

De acordo com a promotora Claire Gallagher, Ricardo “tinha intenção de matar a esposa, apesar das alegações de que tinha perdido o controle depois de uma briga”. Ele confessou apenas homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Segundo Gallagher, o relato não era compatível com as provas do crime.

“Ele tinha uma faca grande com ele, que era grande demais para ser deixada no bolso, como alegou. Isso mostrou claramente que ele tinha planejado o assassinato”, disse.

O ataque foi testemunhado por outras três mães que estavam a caminho de buscar seus filhos da mesma escola, segundo depoimentos no tribunal, diz a BBC. As testemunhas descreveram Ricardo como “frio, calmo e contido” durante o ataque, de acordo com a promotora.

“[O assassinato premeditado] foi ainda corroborado por material em seu telefone e computador, que mostrou sua raiva e ressentimento por sua esposa estar buscando uma nova vida para ela e seus filhos”, disse Gallagher.

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Forte tremor atinge Atenas, na Grécia, e provoca danos nas telecomunicações

Publicado

G1

Um terremoto de magnitude 5,3 atingiu Atenas, na Grécia, nesta sexta-feira (19), causando sérios problemas nas linhas telefônicas e fornecimento de energia elétrica. Não houve relatos imediatos de estragos ou feridos.

Sete réplicas, de intensidade menor, foram registradas logo em seguida, de acordo o Instituto de Geodinâmica de Atenas. O epicentro do tremor foi localizado a 23 km a noroeste da capital grega.

Em pânico, as pessoas deixaram os imóveis e correram para as ruas.

A Defesa Civil informou que bombeiros e a polícia foram mobilizados. Dois helicópteros foram mobilizados para avaliação dos danos.

Comentários Facebook
Leia mais:  A polêmica lei que levou a novos protestos de rua em Hong Kong
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana