conecte-se conosco


Economia

Preço do litro do etanol chega a R$ 3,19 em postos de Cuiabá

Publicado

Mais uma vez o preço do etanol subiu em alguns postos de combustíveis de Cuiabá, deixando os clientes revoltados.

O litro do combustível saltou de R$ 3,07, na semana passada, para R$ 3,19 nessa segunda-feira (20). Isso representa um aumento de quase 4% no litro do etanol nos postos Shell. Nos postos Emboava, o litro sai a R$ 3,17. Há duas semanas, o litro do etanol era de R$ 2,87.

Segundo o diretor executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo), Nelson Soares Júnior, a revisão nos incentivos fiscais do etanol, aprovada pela Assembleia Legislativa, não influenciou a elevação de preços desta semana.

“O etanol, em Mato Grosso, tem 50% de desconto no imposto. Você tem aumento no ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] de dezembro para janeiro de 2% no imposto do etanol, que era 10,5% e passou para 12,5%”, disse.

A lei encaminhada pelo governador Mauro Mendes (DEM) entrou em vigor no dia 1º de janeiro e revisa os incentivos fiscais no Estado.

Ainda conforme o diretor, o aumento no preço já vem das indústrias e distribuidoras, mas ele não soube explicar o motivo disso.

Nos postos Emboava, o litro do etanol está sendo vendido a R$ 3,17

“O preço está aumentando na indústria e na distribuidora. Muito mais impactante é a distribuição para os postos. Você pega a nota fiscal de compra e é muito maior do que a soma dos fatores”, afirmou.

Para Nelson, a elevação do preço do etanol afeta tanto o bolso do consumidor quanto do proprietário do posto. Segundo o sindicalista, sem o aumento do salário acompanhando o dos preços, o poder de compra cai.

“Tem aumento de preço, mas não tem aumento de salário. O consumo vai cair como em qualquer outro produto”, explicou Soares.

Além, disso, é o empresário que acaba lidando com a revolta dos clientes após o aumento dos preços. De acordo com Nelson, o proprietário do posto de combustível sai como responsável pelo aumento.

“É horrível porque quem faz o contato com o consumidor é o posto. O consumidor vê o preço subindo e acha que é o posto, mas não é. E eles [proprietários] passam a vender menos também. Quanto maior o preço, menos vendem”, revelou.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Queda do valor do petróleo faz preço de combustíveis despencar em Cuiabá

Publicado

Posto na Avenida Getúlio Vargas vende diesel a R$ 3,39, a gasolina a R$ 3,89 e o etanol a R$ 2,41

A situação inédita no mundo do preço do barril de petróleo estar negativo, sendo vendido nesta segunda-feira (20), a US$ -2 (menos dois dólares) refletiu diretamente nas bombas de combustível em Cuiabá.

O  registrou que os valores dos combustíveis voltaram ao patamar de dois anos atrás.

Foto feita pela coluna, mostra que um posto de combustíveis, na movimentada Avenida Getúlio Vargas, está comercializando o diesel a R$ 3,39, a gasolina a R$ 3,89 e o etanol a R$ 2,41, e não é promoção. O preço menor agrada o bolso do consumidor, mas acende o alerta para o risco de caos, sendo o combustível um dos reflexos da queda abrupta da economia mundial, durante a pandemia de coronavírus.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Deputado alarmado: ‘Nunca na história desse planeta houve preço negativo do barril de petróleo’

Publicado

A economia do mundo não sabe onde vai parar”, destacou Wilson Santos

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) usou parte de sua fala na tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão ordinária desta segunda-feira (20), para destacar fato inédito e alarmante da economia mundial.

“Nunca na história desse planeta houve preço negativo do barril de petróleo, e o barril é vendido hoje a menos US$ 2 dólares. A economia do mundo não sabe onde vai parar”, destacou Wilson Santos alarmado coma crise gerada pelo coronavírus.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana