conecte-se conosco


Mato Grosso

Presidente tranca a pauta de votações e exige explicações de prefeito

Publicado

A pauta de votações da Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde está temporariamente fechada para os projetos do Executivo. A decisão foi anunciada pelo presidente Dirceu Cosma (PV), durante a sessão ordinária, desta segunda-feira (07).

A medida tem como objetivo exigir do prefeito Luiz Binotti explicações sobre as declarações feitas por ele, na imprensa. No vídeo, Binotti afirma que as coisas não estão acontecendo porque os vereadores não estão aprovando os projetos.

“A pauta está trancada até que ele se retrate, se pronuncie perante a sociedade, porque se as coisas não estão acontecendo, não é culpa dos vereadores, é culpa dele mesmo”, ressaltou o presidente Dirceu Cosma.

Atualmente, apenas três projetos estão tramitando na casa há mais de 30 dias, o que trata do pagamento de verba indenizatória ao Executivo e dois projetos que solicitam R$ 9 milhões em empréstimos.

Segundo o presidente, já foram aprovados pelos vereadores mais de R$ 35 milhões em empréstimos. Os valores seriam investidos em obras de esgoto e abastecimento de água.

Leia mais:  Em Santo Afonso presidente da câmara desponta nas pesquisas

“Nós não estamos aqui pra brincar, fomos eleitos para fazer o melhor pela cidade. Só iremos votar esses dois projetos quando a prefeitura iniciar as obras referentes aos empréstimos já aprovados, porque até agora, eu não vi nada.”

Além das declarações do prefeito, a Câmara de Vereadores também exige explicações do Executivo sobre o documento entregue pela 21ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), aos vereadores e Ministério Público.

No relatório, a OAB questiona a conduta ética do procurador municipal André Pezzini, a respeito do processo de cobrança de IPTU dos terrenos da Novo Tempo Empreendimentos Imobiliários, de propriedade do prefeito.

Segundo o vereador Mano (PDT), até 2016 o advogado trabalhava na prefeitura e defendia os interesses do município, a partir de 2017, não mais no poder público, passou a defender os interesses da empresa e no ano passado, voltou a prefeitura.

“É uma denúncia muito grave. No meu entendimento há vícios. O valor da dívida é significativo, são quase R$ 20 milhões, que poderiam ser investidos em setores importantes. Espero que o prefeito e o Ministério Público se pronunciem sobre o caso.”

Leia mais:  MT tem redução de 22% no desmatamento entre agosto de 2018 e abril de 2019

 

Da assessoria

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Justiça determina reintegração de posse de fazenda de Nadaf

Publicado

O juiz Alexandre Paulichi Chiovitti, da Vara Única de Poconé, acatou ação do ex-chefe da Casa Civil Pedro Nadaf e determinou a reintegração de posse da Fazenda DL, ocupada pelos pecuaristas Roberto Peregrino Morales e Roberto Peregrino Morales Junior.

 

A decisão é da última sexta-feira (11).

 

A fazenda, localizada em Poconé, com área total de 674 hectares e avaliada em R$ 5,9 milhões, foi entregue por Nadaf em seu acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral de República, em 2017.

 

No total, o ex-secretário – que é delator das ações penais derivadas das operações Ararath, Sodoma e Seven e condenado a mais de 7 anos de prisão – se comprometeu a devolver R$ 17,5 milhões aos cofres públicos

Nadaf afirmou que comprou a área em 2015, mas toda negociação se deu por intermédio de Marcos Amorim da Silva, amigo de longa data de sua família. Isso porque, o ex-secretário disse que, à época, estava passando por problemas conjugais (separação).

 

Nestes termos considerando que estão preenchidos os requisitos do artigo 300 CPC, defiro a liminar, a fim de reintegração de posse do imóvel objeto do litigio ao requerente

Em sua delação, o ex-secretário confessou que adquiriu a fazenda com R$ 500 mil que recebeu como “comissão” na fraude da área adquirida pelo Estado na região do Manso. O esquema foi descoberto durante a “Operação Seven”, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).

Leia mais:  MT luta para garantir 2,2 milhões de hectares em território

 

Conforme o ex-secretário, ao tomarem conhecimento do seu acordo de colaboração, os pecuaristas passaram a aproveitar da situação, ameaçando reaver o imóvel rural. Já em agosto de 2018, invadiram a área, quebrando os cadeados.

 

Em depoimento ao Gaeco, Roberto Peregrino Junior confirmou a venda da fazenda para Marcos Amorim. Segundo ele, todo o negócio foi realizado pelo pai, Roberto Peregrino. Ele disse que não sabe o valor total da venda, mas afirmou que as parcelas eram de quase R$ 100 mil.

 

Em sua decisão, o juiz afirmou que a ação deve ser acolhida por dois motivos: da probabilidade do direito e o risco ao resultado útil do processo.

 

Segundo ele, a “probabilidade do direito” está demostrada pelo registro de imóvel, no qual consta que Nadaf adquiriu o bem, em 07 de janeiro de 2015. Já a “probilidade de risco” está evidenciado no fato de que há criação de gado de forma indevida no local e isso pode acarretar prejuízo à vegetação.

Leia mais:  Lewandowski torna definitiva liminar que impede Mato Grosso em cadastros negativos

 

“Nestes termos considerando que estão preenchidos os requisitos do artigo 300 CPC, defiro a liminar, a fim de reintegração de posse do imóvel objeto do litigio ao requerente”.

 

O juiz oficiou a Polícia Militar para realizar a reintegração de posse e, se necessário, com uso da força.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

PM supera aversão a academia, se dedica e vence campeonato

Publicado

O policial militar de Mato Grosso Madson Siqueira Silva, de 37 anos, tornou-se campeão nacional fisiculturismo no “Sardinha Classic”, realizado em Balneário Camboriú (SC), neste mês.

 

O atleta é lotado na Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel) e ganhou o título em sua primeira competição fora do Estado, trazendo quatro troféus – dois de ouro, um prata e um bronze.

 

Em entrevista ao MidiaNews, Madson conta que treina desde 2012, no entanto resolveu entrar para o fisiculturismo somente em 2015.

“Nunca gostei de academia, gostava de basquete futebol, mas academia eu achava rotineiro e estressante. Mas aí em viagens com o pessoal da Rotam, alguns amigos ‘piolhos de academia’ acabaram me arrastando”, revela.

 

A primeira competição da qual participou ocorreu em Sinop, onde ficou em 2º lugar. Após o evento, disse que decidiu parar e retornou novamente para o esporte este ano.

 

atleta

O atleta cuiabano Madson Siqueira ganhou quatro troféus na competição em Santa Catarina

O pensamento de voltar aconteceu após ter participado de outro estadual, desta vez na Capital, no colégio Liceu Cuiabano.

 

“No ‘backstage’ um treinador falou que eu estava com corpo legal e sugeriu que eu entrasse no ‘Sardinha Classic’, porque haveria uma categoria só para policiais militares. E nunca houve isso no Brasil. E foi o Fernando Sardinha quem trouxe isso para cá. Pesquisei sobre o campeonato e vi que estava em cima da hora, mas resolvi tentar. Só que, como eu que ia comprar as passagens e ter outros gastos por conta própria, resolvi  ao invés de ir só na categoria de militares, competir em todas que podia”, conta.

Leia mais:  MT transfere mais R$ 1 mi para hospitais filantrópicos

 

O evento, que leva o nome do maior representante do esporte de culturismo do Brasil, Fernando Sardinha, contou com a participação de 562 atletas.

 

O cuiabano ficou em primeiro lugar na categoria Novice Estreantes e também na categoria Men’s Physique Open, onde só podem competir atletas acima de 1,85 metro. Já na Special Force, somente com atletas das Forças Armadas, ficou em segundo lugar. E ele ficou em terceiro na a categoria Master, acima de 35 anos.

 

“Foi melhor do que imaginava. Porque eu esperava ganhar em alguma, mas não em todas que competi. Foi bem bacana”, comemora.

 

Apesar de gostar do esporte, o atleta lamenta não ter mais apoio ou patrocínio.

 

“Gastei uns R$ 6 mil pra poder competir lá. Acho que algum tipo de ajuda deveria haver para o atleta, porque querendo ou não, eu levei a bandeira do Estado e representei meu Estado. Quando chega aqui não tem nenhum tipo de retorno, patrocínio ou ajuda. Isso é o que mais pesa para quem treina esse tipo de esporte”.

 

Trabalho e rotina

 

Madson, que é militar há 18 anos, afirma que conciliar a rotina na Polícia com os treinos é estressante.

Leia mais:  Lewandowski torna definitiva liminar que impede Mato Grosso em cadastros negativos

 

“Você não pode ir às festas, você tem que abdicar do convívio social às vezes, porque não pode comer certas coisas, não pode tomar drinks…”, conta.

 

atleta

Madson Siqueira e a esposa

Segundo ele, esse foi um dos motivos para dar um tempo e ter se afastado em 2015 das competições.

 

Agora o militar consegue fazer uma dieta equilibrada e focar somente nos campeonatos.

 

“Não vou deixar o esporte atrapalhar meu serviço ou vida pessoal. Tenho que me adaptar, e eu gosto desse tipo de desafio”, diz.

 

Sobre a rotina: é árdua, mas o atleta diz que consegue lidar e conta com ajuda e apoio da esposa, que também entra na dieta para acompanhá-lo.

 

“Eu malho todos os dias, menos no domingo. A minha mulher é bem focada na dieta e me ajuda bastante. Acordo às 5 horas, tomo meu café e depois vou treinar. E só aí vou para o serviço. Quando eu chego em casa, às 19 horas, ainda faço uma hora de aeróbico e preparo meu jantar e marmita do dia seguinte”, explicou.

 

Agora Madson afirma que está se preparando para participar de outro campeonato nacional, que ocorre nos dias 13, 14 e 15 de dezembro em Curitiba (PR).

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana