conecte-se conosco


Internacional

Trump provoca risos por erros históricos em discurso de 4 de Julho

Publicado

Por France Presse

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, provocou risadas de seus críticos ao afirmar, durante seu discurso pela festa nacional do 4 de Julho na noite de quinta-feira (4), que o Exército americano havia conseguido “tomar o controle dos aeroportos” contra os britânicos… em 1775.

Diante de milhares de pessoas reunidas para um show de uma escala sem precedentes, ao som de sobrevoos de aviões militares, o presidente republicano pronunciou um discurso em grande parte apolítico por cerca de uma hora, tentando evitar os improvisos tão celebrados por seus partidários.

Remontando a “junho de 1775”, Trump falou das batalhas travadas pelas tropas das colônias americanas: “Nosso Exército derrubou as muralhas, tomou o controle dos aeroportos, fez tudo o que tinha de fazer”.

Curiosamente, no mesmo discurso, citou a façanha dos irmãos Wright, pioneiros da aviação americana que fizeram o primeiro voo motorizado em 1903.

Ouvintes atentos a seu discurso apontaram outro erro nesse mesmo trecho, quando Trump citou a batalha pelo controle de Fort McHenry, ocorrida durante a guerra anglo-americana (1812-1815), e não na guerra da Independência.

Nesta sexta, Trump justificou os erros históricos por problemas no teleprompter. “Estava debaixo de chuva, e o teleprompter apagou (…) Estava quebrado”, respondeu à imprensa, ao ser questionado sobre o assunto.

“Não é simples quando você está diante de milhões e milhões de pessoas na televisão”, alegou, nos jardins da Casa Branca.

“Imagino que a chuva tenha danificado o teleprompter, mas eu sabia muito bem o discurso e consegui fazer sem ele”, acrescentou.

“Apesar da chuva, foi uma noite fabulosa”, completou, destacando que “muita gente”, estimulada pela cerimônia, “vai ingressar nas Forças Armadas”.

O 4 de Julho marca o Dia da Independência, durante o qual, em 1776, treze colônias britânicas fundaram os Estados Unidos da América.

Todos os anos, milhares de pessoas se reúnem para celebrar esse aniversário nos enormes jardins do National Mall, a grande esplanada de Washington, cercada de museus e de monumentos oficiais.

Desta vez, Trump pronunciou um discurso em “homenagem aos Estados Unidos” e seu Exército, intercalado com marcha militar e o voo de aviões de combate.

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Imprensa internacional destaca demissão de Teich como “crise” no Brasil

Publicado

por

O pedido de demissão do ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, recebeu destaque nos principais sites da imprensa mundial. Teich pediu demissão menos de um mês depois de assumir o cargo e sai após entrar em choque com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

O jornal norte-americano The New York Times destacou logo no início do site, onde há um ao vivo sobre a pandemia do novo coronavírus, a demissão do ministro brasileiro. “Ministro da Saúde do Brasil deixa o cargo após menos de um mês após choques com Bolsonaro”, diz a chamada. O jornal destaca ainda a demissão do ministro anterior, Luiz Henrique Mandetta pelos mesmos atritos com o presidente da República.

O também norte-americano Washington Post segue a mesma Linha e destaca em seu ao vivo a notícia do País. “Brasil perde seu segundo ministro da Saúde em menos de um mês”, diz a chamada. A notícia ressalta o embate com Bolsonaro sobre o uso da cloroquina no tratamento da covid-19.

O espanhol El País, em sua versão Américas, colocou a notícia em sua manchete. “Ministro da Saúde do Brasil apresenta sua renúncia após menos de um mês no cargo”. Em seguida, o site destaca o número de quase 14 mil mortos e 206 mil casos confirmados no País.

Na página do inglês The Guardian, a notícia também aparece no destaque do ao vivo sobre a pandemia. “Brasil: segundo ministro da Saúde renuncia em menos de um mês enquanto as mortes por covid-19 aumentam”. O jornal chama a demissão de Teich de “repentina”.

América Latina

A imprensa da América Latina também destaca a demissão de Teich. O argentino Clarín afirma: Situação no Brasil: renunciou o segundo ministro da Saúde de Bolsonaro: ficou no cargo menos de um mês.”

Outro jornal argentino, o La Nación afirma “Crise: renunciou o ministro da Saúde de Bolsonaro menos de um mês depois de assumir”.

O El Comercio do Equador destaca a notícia como primeiro item do setor ao vivo: Ministro da Saúde do Brasil renuncia após incompatibilidades com Jair Bolsonaro.

O paraguaio ABC Color colocou na manchete da área Mundo a notícia sobre o Brasil. “Ministro da Saúde do Brasil se demite com a pandemia em pleno crescimento”.

(Com Agência Estado)

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Mato-grossenses incendeiam casa de deputada e ficam gravemente queimados; um morre

Publicado

por

Um brasileiro morreu e outros dois estão em estado grave por conta de queimaduras pelo corpo, de 2º e 3º graus, após incendiarem uma residência no povoado de San Matias, no início da madrugada desta última quarta-feira(1º), na fronteira da Bolívia com o Brasil.

 

San Matias está a 1300 km a leste de La Paz e fica na fronteira com Brasil próximo de Cáceres, cidade localizada no médio oeste de Mato Grosso.

 

De acordo com o site Caceres Notícias, os brasileiros tinham a intenção de roubar a residência da deputada departamental, Ceidy Carreño, em São Matias. Populares que assistiram à tragédia revelaram à polícia boliviana, que o grupo teria ateado fogo na residência da deputada e o combustível usado no incêndio, acabou por incendiar um dos galões que os três brasileiros carregavam. Quando o fogo espalhou, acabou queimando-os.

 

As vítimas foram internada no Hospital Regional de Cáceres, mas Thiago Garcia Galha, 26 anos, de Mirassol D’Oeste, cidade próxima à Cáceres, que chegou com 90% do corpo com queimaduras, não resistiu e morreu. Seu corpo já foi encaminhado ao Instituto Médico Legal( IML) de Cáceres.

 

Também corre grave perigo de morte, o menor Victor Benedito Lopes Pagano, de 17 anos, que se encontra com 80% do corpo com queimaduras, de 2º e 3º graus. Um terceiro  estaria no box de emergência, também no hospital de Cáceres, com quadro grave.

 

Ainda de acordo com informações veiculadas pelo site, por meio de vídeo, o prefeito de San Matias, Fábio Lopes Olivares, revelou que a Polícia Nacional boliviana continua em busca de mais informações.

 

E que conta com ajuda, nas investigações, do Grupo Especial de Fronteira[Gefron] e da Polícia Federal de Cáceres.

 

Em um trecho do vídeo o prefeito declara que não houve, em nenhum momento, envolvimento de algum boliviano, no acidente que ocasionou queimaduras nos brasileiros, ‘estariam na cidade boliviana com intuito de roubar. E acabaram envolvidos no próprio incêndio que propagaram’.

 

“Queremos declarar que ninguém foi queimado por cidadãos bolivianos e sim eles próprios se envolveram no incêndio provocado, e todos os socorros foram feitos para que os envolvidos pudessem serem salvos os primeiros socorros foram feitos ainda no atendimento médico em San Matias e depois as ambulâncias levaram todos os envolvidos até a cidade de Cáceres onde recebem os os socorros. Porém, um dos envolvidos não resistiu”. (Veja vídeo)

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana