conecte-se conosco


Cuiabá

Mais de 800 profissionais da saúde já foram capacitados para identificar e notificar indícios de violência doméstica

Publicado


A Secretaria Municipal da Mulher já capacitou cerca de 800 profissionais da área da saúde que atendem mulheres vítimas de violência doméstica. Estão entre os qualificados médicos, psicólogos, odontólogos e enfermeiros. A medida está de acordo com regulamentação da lei nº 13.931/2019, que determina a notificação compulsória às autoridades policias sobre esses casos que envolvem pacientes, em até 24 horas.

De acordo com a secretária da Mulher, Luciana Zamproni, somando o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) e as Unidades Básicas de Saúde (UBS), mais de 400 cirurgiões dentistas foram capacitados e receberam orientações de como preencher o formulário para notificação compulsória.

“Mesmo antes da aprovação da lei, seguindo as determinações do prefeito Emanuel Pinheiro e da primeira-dama Márcia Pinheiro, já nos organizamos para capacitar os esses profissionais. Em parceria com o Conselho Regional de Odontologia, desenvolvemos o projeto Sorriso Protetor para que eles também aprendam a identificar possíveis violências, além de entregarmos o Espaço de Acolhimento da Mulher”, observa.

A secretária relata que, na grande maioria dos casos, as mulheres que chegam nas unidades de saúde com dores de cabeça, dentes quebrados ou hematomas pelo corpo, não falam a real causa. Nesses casos, os profissionais, ao constatar uma possível vítima de violência doméstica, informam à polícia. Os agentes entram em contato com a suposta vítima e se inicia uma investigação para saber os motivos da paciente não ter efetuado uma denúncia.

Para Zamproni, a regulamentação da lei ocorre em um dos momentos críticos da história, em que o mundo enfrenta um período de pandemia. Ela explica que, conforme a Lei 10.778/03, a rede de saúde já era obrigada a notificar casos de violência. Porém, com a mudança trazida pela Lei 13.931, os profissionais devem notificar também os indícios. Além disso, foi definido um prazo de até 24 horas, o que antes não existia.

“Muitas vezes entendia como uma notificação compulsória aquela mulher que dava entrada em uma rede hospitalar de urgência e emergência toda machucada. Agora, isso mudou. Não importa se ela está em um posto de saúde ou em um atendimento clinico, qualquer agente da saúde, sejam enfermeiros, psicólogos, dentistas podem notificar e informar a Polícia Militar”, explica.

Comentários Facebook
publicidade

Cuiabá

Polo de vacinação em Cuiabá será reaberto tão logo a Prefeitura receba novas doses

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

A Prefeitura de Cuiabá aguarda a chegada de novas doses do imunizante para dar continuidade à campanha de vacinação contra o coronavírus na capital. Com a utilização de todas as doses, o pólo de vacinação, montado no Centro de Eventos do Pantanal foi fechado temporariamente, até que o município receba novas vacinas.

Com a divulgação da distribuição de novas doses nos estados, começou uma grande especulação e consequentemente muitas dúvidas sobre o retorno da campanha. Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Valéria de Oliveira, é importante que a população tenha tranquilidade, pois assim que Cuiabá receber as doses, a campanha será retomada com segurança.

“Temos recebido muitas perguntas sobre pessoas que estão tentando fazer o agendamento mas não conseguem. Neste momento de suspensão temporária da campanha o agendamento está fechado. Nós abrimos a agenda no dia anterior à vacinação, porque a equipe da TI faz uma checagem nos dados dos agendados para garantir que a pessoa realmente faz parte do grupo contemplado”, explicou Valéria.

Outra dúvida recorrente é em relação à segunda dose dos trabalhadores da Saúde, que têm o prazo de 28 dias para serem imunizados. Valéria esclarece que todas as doses de vacinas recebidas em Cuiabá já vieram com a especificação sobre o grupo a ser vacinado e quais eram primeira ou segunda dose. “Recebemos do Estado primeiramente as vacinas destinadas à primeira dose e quando chegou perto do prazo, recebemos as vacinas de segunda dose. Atualmente temos no nosso estoque apenas 3120 doses destinadas à segunda dose dos idosos, que começarão a ser aplicadas em 11 de março. Estamos aguardando o recebimento ainda de 3030 vacinas para a segunda dose dos trabalhadores da Saúde aprazados para 28 dias”, comentou.

A coordenadora reitera que não é a Prefeitura de Cuiabá que faz a reserva da segunda dose. “Nós realizamos a vacinação à medida que recebemos as doses do Estado. É importante que pessoas que ainda não receberam a segunda dose entendam que não é propositalmente. Tão logo a gente receba essas doses, faremos a imunização deste grupo, mas não nos informaram ainda quando essas doses chegarão”.

Doses destinadas para Cuiabá para vacinação até o momento:

20/01 – Coronavac – 8027 doses (para primeira dose)

26/01 – AstraZeneca – 6630 doses (para primeira dose)

26/01 – Coronavac – 3030 doses (para primeira dose)

27/01 – Coronavac – 510 doses (para primeira dose)

02/02 – Coronavac – 496 doses (para primeira dose)

02/02 – Coronavac – 8027 doses (para segunda dose)

09/02 –  Coronavac – 3120  (para primeira dose idosos a partir de 85 anos)

09/02 – Coronavac – 992 doses (para segunda dose)

09/02 – Coronavac – 680 doses (para primeira dose)

19/02 – Coronavac – 3120  (para segunda dose idosos a partir de 85 anos)

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Programa Siminina se consolida como referência de atendimento à criança e adolescentes

Publicado


Vicente Aquino

Clique para ampliar

O programa Siminina  – mantido pela Prefeitura de Cuiabá e com apoio da primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, se consolidou como referência de boas práticas no atendimento à criança e adolescentes (6 a 14 anos) em situação de vulnerabilidade social.

A  primeira-dama Márcia Pinheiro destaca que as ações são cuidadosamente delineadas e formatadas. Destaca que ao longo da primeira gestão Emanuel Pinheiro, o trabalho preventivo realizado no contraturno escolar apresenta resultados exitosos, como nenhum registro de gravidez na adolescência.

“Muito mais que educá-las, com informações sobre saúde e mediante o suporte educacional, desenvolvemos essas meninas para o protagonismo. Desde cedo, é preciso que essas meninas tenham perspectiva de um bom futuro e que estejam preparadas para essa construção, que saibam seus objetivos e os caminhos para que possam alcança-los”, explica a primeira-dama de Cuiabá, pontuando ainda que as ações do Siminina estão ligadas à Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência.

Uma das preocupações da coordenação do programa é quanto a permanência das meninas nas atividades e, por isso, o programa foi delineado para o atendimento distribuído por faixa etária.  Ao completar 13 anos, o currículo conta com ações preparatórias para a inserção no mercado de trabalho.

“Em razão dessa necessidade, de trabalharmos uma nova abordagem nessa mudança de fase,   surgiu o ‘Siminina Jovem’. Entre os 13 e 14 anos, as meninas participam de ações específicas para a qualificação profissional que servirão de incentivo e aumento da autoestima. São políticas públicas voltadas literalmente para nossos jovens”, explicou a coordenadora Dalma Monteiro.

No Siminina Jovem são oferecidos cursos de qualificação profissional, aulas de balett, rodas de conversa sobre sexualidade, álcool, drogas, aulas de informática, fanfarra e são instruídas também quanto elaboração de um bom currículo.

Sucesso

Criado há 26 anos, o programa Siminina conta hoje com 20 unidades distribuídas por toda a capital e tem um público assistido estimado em torno de 1,6 mil meninas. Pautado por atividades lúdicas e de estímulo, o Siminina  possibilita que as garotas se conheçam e se valorizem.  O Siminina oferta atividades como reforço escolar, cuidados médicos e psicológicos reforçados. Dalma lembra ainda que para a inserção junto ao programa, existem critérios  observados, como por exemplo a assiduidade e o bom rendimento escolar.

“Com o retorno gradativo e seguro no sistema público de ensino, estamos também nos preparando para recebê-las com todo carinho e segurança. Será um momento de muito aprendizado, não só para as meninas como também para as nossas monitoras, já que vivenciamos um longo momento de isolamento social. A gestão Emanuel Pinheiro é pautada na humanização, ofertando serviços de qualidade à população que mais precisa do apoio do Poder Público”, descreve.

Ela relembra que o Siminina conta com todo apoio de psicólogas e reforça a integração familiar, colocando as famílias junto com as alunas. Essa integração familiar é fundamental para o êxito da ação”, complementou a coordenadora.

“A mudança comportamental é clara entre as meninas assistidas. Estão bem mais disciplinadas. Procuramos incluir no cronograma de trabalho atividades temáticas específicas para esse público, pois trabalhamos com famílias em situação de vulnerabilidade social”, concluiu a primeira-dama.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana