conecte-se conosco


Educação

Mendes diz que não discutirá repasses de duodécimos sem análise concreta

Publicado

Diante da crise causada pela pandemia de Covid-19, o coronavírus, e consequentemente uma queda na arrecadação em Mato Grosso, o governador Mauro Mendes (DEM) declarou na noite desta segunda-feira (27), que discutirá com os chefes dos Poderes a questão dos repasses dos duodécimos assim que tiver uma análise concreta dos números a partir dos próximos dias.

“Estamos esperando finalizar o mês de abril e iniciar o mês de maio quando vamos ter dados mais concretos. Eu não vou abrir essa conversa com ninguém muito menos com os Poderes em cima de possibilidades, de projeções para que possamos colocar a mesa e discutir o que é necessário a título de contribuição de cada um deles”, disse durante entrevista ao programa Opinião, da TV Pantanal.

O governador destacou que houve conversas com os chefes dos Poderes e instituições e discutiram a possibilidade de contingenciamento nos duodécimos. “Esse dialogo houve, tivemos várias conversas lamentavelmente foi esse o resultado. Eu não posso dizer aqui tudo que foi falado. Não vou ficar criando crise entre os Poderes”, destacou.

Sem citar nomes, Mendes ainda declarou que muitos recebem até mais do que deveria.

“Eu também acho que muita gente deveria receber menos do que recebe. O presidente da Assembleia Legislativa Botelho [Eduardo Botelho] foi sensível a isso quando ele se propôs fazer essas devoluções e destinar recursos à Saúde”.

O governador lembrou que atualmente o valor repassado aos Poderes não está vinculada ao percentual de receita do Estado e sim de acordo com a inflação anual. No entanto, a Assembleia Legislativa tem prerrogativas para mudar a PEC que foi aprovada há dois anos.

“Hoje o que é repassado aos Poderes não é uma vinculação percentual da receita. Isso já foi assim outrora, em tempos passados, mas não é assim que funciona hoje. Porém, a AL pode mudar isso como já mudou, quando aumentou mais o duodécimo para o Tribunal de Justiça e não aumentou para ela. Aumentou para o Ministério Público, para o Tribunal de Contas e a para Defensoria Pública. Agora, o governador infelizmente não pode tudo. Eu gostaria de ter esse poder que algumas pessoas imaginam que o governador tem”, declarou.

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Inscrições para Prêmio Gestão Escolar vão até dia 15 de agosto

Publicado

por

Redação

As escolas públicas – estaduais e municipais – de Mato Grosso têm até o dia 15 de agosto para se inscreverem no Prêmio Gestão Escolar (PGE) 2020. A premiação contempla projetos eficientes e inovadores de gestão na educação básica da rede pública de todo o país.

Podem se inscrever no Prêmio gestores e professores de escolas regulares de educação básica pública de qualquer etapa: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio. A equipe escolar deve preencher o cadastro da escola no site www.premiogestaoescolar.com

Em 2020, a iniciativa vai reconhecer práticas exitosas das escolas que, no momento de afastamento social, estão se empenhando para encontrar soluções de forma criativa e inovadora para garantir a continuidade da aprendizagem dos alunos.

Segundo a coordenadora estadual do prêmio, Kerlla Quinteiro Amorim, o número de escolas inscritos é expressivo, mas deve ser maior até a data final do registro das escolas. “Mesmo com a pandemia, vamos ter um grande número de escolas inscritas”, ressalta.

Livramento

A Escola Estadual de Campo José de Lima Barros, localizada no Distrito de Faval no município de Nossa Senhora do Livramento (a 42 quilômetros ao sul da Capital) é uma das participantes. A expectativa de diretora Ana Cláudia de Campos, para o prêmio é a melhor possível.

A gestora destaca que a maneira de pertencer ao campo remete ao universo de trabalho, de devoção religiosa, de festa e confraternização das famílias. O fato de todos se conhecerem entre si também é um fator que incide sobre os métodos de ensino-aprendizagem.

No entendimento de Ana Claudia, fazer gestão em escola do campo em tempos de pandemia é desafiador, pois a escola está situada a 70 quilômetros da sede do município. A localização geográfica não facilita para a gestora fazer compras de materiais escolares necessários, bem como, para questões burocráticas, reuniões, entre outros.

“Acreditamos que a participação é uma oportunidade de mostrar as dificuldades e sobretudo os resultados positivos da educação do campo que já enfrentava muitos desafios antes da pandemia. E agora, toda a escola não tem medido esforços em buscar soluções para assegurar a continuidade do processo de ensino-aprendizagem em meio a esta pandemia”, salienta.

Equipe

Em 2020, o Prêmio Gestão Escolar vai contemplar também o professor e a equipe escolar. A iniciativa representa o reconhecimento da união de esforços para superar os desafios que a situação atual impõe ao considerar, além do gestor, os atores que estão na ponta do processo de ensino e aprendizagem.

Serão premiadas as equipes escolares (cada equipe sendo composta por um gestor, um coordenador e quatro professores) que conseguiram transformar o momento de apreensão em soluções criativas e inovadoras de forma colaborativa e conjunta para manter o clima educacional apesar do afastamento social.

O processo de seleção das escolas inscritas se dará em três etapas, Estadual, Regional e Nacional. A escola selecionada como “Referência Nacional” receberá premiação em dinheiro de R$ 30.000, além das vagas no curso de especialização.

Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Seduc contrata mais de 3,5 mil professores

Publicado

por

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) está concluindo a contratação de professores para as unidades que começarão o segundo calendário escolar, devido à greve de 2019. Até o momento, já foram contratados 3,5 mil profissionais, que vão atuar em escolas de vários municípios do Estado.

A expectativa é que esses profissionais sejam incluídos ainda na folha de julho, cujos salários serão pagos no dia 10 de agosto.

Esses profissionais, bem como os demais da rede estadual, já estão recebendo formação para trabalhar com os alunos durante as aulas não presenciais (online e Off-line), que iniciam na próxima segunda-feira (03.08).

A rede estadual conta com 759 unidades educacionais, que atendem cerca de 368 mil alunos

A rede estadual conta com 759 unidades educacionais, que atendem cerca de 368 mil alunos, matriculados nos ensinos médio e fundamental.

Em 2020, a rede estadual ficou com dois calendários letivos. O primeiro calendário teve início no dia 10 de fevereiro e nessas escolas o processo de atribuição para contratação de professores foi realizado no início do ano.

Nas demais escolas, que são do segundo calendário e iniciariam o ano letivo em 23 de março, o processo de atribuição não havia sido realizado por conta da suspensão das aulas.

Conforme explica a secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, a Seduc não possuía amparo legal para a realização de contratação temporária de professores por ausência de fato gerador, que consiste no exercício imediato das atividades laborais em sala de aula.

“Agora, com o início das aulas em três de agosto, iniciamos o processo de contratação, pois já temos o fato gerador que são as aulas para serem ministradas pelo professor”, explica a secretária.

Formação

A Seduc está realizando a formação continuada para a implantação do Plano Pedagógico Estratégico de Volta às Aulas Online e Off-line. São cerca de 16 mil professores participando, tanto efetivos como contratados.

A formação é realizada pelos 15 Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica (Cefapros) e ofertada em duas etapas, a primeira de 20 a 31 de julho e a segunda de 17 de agosto a 11 de setembro, totalizando uma carga horária de 60 horas.

A metodologia adotada é a perspectiva da aula invertida. O material de apoio está disponibilizado na plataforma Aprendizagem Conectada, no ícone “Orientações”, “Orientações aos Professores”, “Formação” e “Vídeos”.

Aulas não presenciais

As aulas não presenciais serão organizadas em cinco etapas: produção do material escolar, com a organização semanal de estudos e planejamento do professor; disponibilização do material escolar; atendimento ao estudante; intervenção pedagógica; e registro em tempo real no final do semestre.

Essas aulas serão disponibilizadas na plataforma digital Aprendizagem Conectada (online) e com materiais apostilados impressos (off-line). A Seduc também vai continuar ofertando as videoaulas pela TV Assembleia.

As aulas off-line preveem a entrega de apostilas para os alunos que não têm acesso à internet. Os professores também poderão trabalhar com os alunos via whatsapp, fazendo estudo dirigido.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana