conecte-se conosco


Cidades

Moradores fazem abaixo-assinado após morte de peixes em usina no Rio Teles Pires em MT

Publicado

Por Alessandro Gomes, TV Centro América

Moradores do Assentamento 12 de Outubro em Cláudia, a 608 km de Cuiabá, fizeram um abaixo assinado em forma de protesto contra a morte de peixes que aconteceu este mês no Rio Teles Pires. O caso aconteceu pela segunda vez e está sendo investigado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema).

Os moradores do assentamento reuniram várias assinaturas para protestar e cobrar providências das autoridades, pois não é a primeira vez que a mortandade de peixes acontece no rio. O segundo caso registrado na região alagada pela usina depois que as comportas foram abertas.

De acordo com os moradores, é possível ver os peixes mortos na água e também borbulhas frequentes, que seriam os peixes tentando acesso à superfície para respirar. Essa situação é consequência do surgimento de resíduos na água e, por isso, causam a dificuldade de respiração dos peixes.

A moradora Ângela Regina relatou que esta situação de aparição de borbulhas frequentes e em grande quantidade na água é incomum. “Eles deveriam estar escondidos durante o dia, e por causa da fermentação da sujeira na água eles estão agonizando. A usina desmatou e não limpou o local que precisava limpar’’, disse.

Na sexta-feira (14), moradores encontraram peixes mortos boiando no lago que se formou depois da abertura das comportas da Usina Hidrelétrica (UHE). Este é o segundo caso, em Sinop, a 503 km de Cuiabá. A Sema e o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) estiveram no local para verificar a denúncia e coletaram amostras da água.

Conforme com a Sema, a partir do momento que peixes são encontrados mortos, a situação é verificada e a Usina Hidrelétrica (UHE) tem a obrigação de retirar esses animais da água para evitar futuros problemas. No dia da verificação e coleta de material não foi achado peixes mortos.

A Usina de Sinop informou que recolheu mais de 600 kg de peixes mortos no lago.

Ricardo Padilha, diretor e presidente da usina, disse que a empresa estava há 45 dias sem registrar nenhum tipo de ocorrência, desde de quando o lago foi enchido após a abertura das comportas da usina. A usina está monitorando para evitar que outras mortes aconteçam.

“Até então não houve nenhuma evidência que somasse com este evento e explicasse de forma evidenciada algum problema no local. Várias situações vão ser investigadas, como os níveis de oxigênio na água. Mas até o momento o que foi evidenciado é o problema que aconteceu e não se repetiu”, declarou.

Gabriel Conter, diretor regional da Sema, informou que o órgão só vai se pronunciar após o resultado das análises feitas nas amostras de água coletadas do rio e no local onde ocorreu a mortandade de peixes pela segunda vez.

Ricardo disse ainda que quando o lago se formou, a pesca e os segmentos do lazer começaram a acontecer no local, mas que algumas práticas estavam irregulares, como pesqueiros que foram instalados e a pesca com alimentos impróprios que serviam como iscas e isso pode ter contribuído para o problema da mortandade dos peixes, juntamente com outros fatores.

Ao G1 a Sema informou que o resultado das amostras coletadas das águas sai em alguns dias, mas que resultados preliminares devem sair no início da próxima semana. O resultado total das análises realizadas não tem previsão, pois alguns dos testes são feitos fora do estado.

Em fevereiro deste ano cerca de 13 toneladas de peixes mortos foram recolhidos do Rio Teles Pires. A tragédia ocorreu após a abertura do vertedouro da usina que causou a poluição da água do rio, diminuindo a qualidade do oxigênio e causando a mortandade dos peixes.

Peixes de várias espécies foram encontrados mortos — Foto: TVCA/ReproduçãoDe acordo o presidente a usina, já faz cerca de 4 meses que a usina está trabalhando para solucionar a tragédia, e que o processo está próximo do período de estabilização, que seria de seis meses. O processo está tendo resultados, como atingir os padrões de qualidade da água desejável para que não ocorra mais problemas.

A Sinop Energia, empresa responsável pela usina, recebeu uma multa no valor de R$ 50 milhões por danos ambientais, que, segundo a Sema-MT, foi provocada pela abertura das comportas que causou o lançamento de sedimentos nas águas do Rio Teles Pires e ocasionou a morte de toneladas de peixes.

A multa aplicada a usina não foi paga porque a empresa pode recorrer da decisão judicial, pois o processo está em andamento. A Sema está aguardando o resultado de uma perícia judicial pedida pelo Ministério Público Federal (MPF) determinada pela Advocacia Geral da União (AGU) que irá apontar a dimensão total do impacto ambiental causado, e posteriormente, tomar as providências cabíveis.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

AMM completa 39 anos de fundação e comemora conquistas para os municípios

Publicado

A Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM comemora nesta quarta-feira, 4 de maio, 39 anos de fundação. Ao longo dos anos a instituição fortaleceu a sua atuação municipalista e celebra quase quatro décadas de lutas, conquistas e vitórias em defesa dos municípios. Considerada uma referência na luta pelo fortalecimento do municipalismo e pela autonomia dos entes municipais, a AMM se fortaleceu e se consolidou por sua representatividade e pela trajetória de lutas e vitórias.

A instituição atua na defesa dos municípios, liderando e participando de mobilizações para garantir avanços, e também na prestação de serviços técnicos às prefeituras, com publicações no Jornal Oficial, elaboração de projetos, assessoria jurídica, técnica, capacitação, comunicação, serviços de apoio, entre outras atividades.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, ressalta que o principal papel da instituição é buscar mais recursos para os entes municipais, defender os municípios em todas as esferas de governo, perante os poderes constituídos, visando garantir mais autonomia e representatividade aos entes locais. “Nesses 39 anos a AMM tem defendido os municípios e, principalmente, o interesse dos cidadãos, que são diretamente contemplados com o trabalho desenvolvido pelos prefeitos”, frisou, destacando que boa parte das obras que são executadas nas cidades de Mato Grosso são resultado de projetos elaborados pela AMM.

Fraga destacou também outros serviços prestados pela Associação e o fortalecimento de parcerias institucionais. “São muitos serviços que nós prestamos para diminuir os custos, as despesas das prefeituras e consequentemente contribuir com os cidadãos. Além disso, a AMM representa os prefeitos perante os poderes e trabalha para fortalecer a parceria com a Assembleia Legislativa, com o Tribunal de Contas, com o Ministério Público, com o Governo do Estado, com o TCU, com as bancadas estadual e federal, com o Congresso Nacional e outros órgãos e instituições”, assinalou.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Cidades

SES divulgará boletim epidemiológico da Covid-19 somente às segundas-feiras

Publicado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) passará a divulgar o Boletim Epidemiológico da Covid-19 somente às segundas-feiras. A medida leva em consideração a diminuição de casos e, portanto, recorrência de baixos números de notificações nos demais dias da semana.

Todas as notificações que ocorrerão entre terça-feira e domingo serão contabilizadas nos boletins de segunda. Em caso de feriado ou ponto facultativo na segunda-feira, o Boletim será divulgado no próximo dia útil. A Secretaria Adjunta de Vigilância e Atenção à Saúde informou que a medida já passa a valer nesta semana.  

É importante esclarecer que o sistema do Painel Interativo da SES continuará a ser atualizado diariamente, de forma automática, por isso, mesmo sem os boletins diários, será possível acessar os dados em tempo real.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana