conecte-se conosco


Brasil

Padre é afastado após acusação de fazer sexo com noivo que celebrou casamento

Publicado

Uma série de áudios divulgados nessa sexta-feira, 3, mostra a discussão entre um casal e o padre que celebrou a união de ambos. O motivo da briga surpreende: o padre e o então noivo teriam mantido um relacionamento, em segredo, com encontros até mesmo a poucos dias da cerimônia. Após a divulgação do material, o padre Júlio Cezar Souza Cavalcante foi afastado pela Arquidiocese de Natal.

 

Ele atuava na paróquia de Nossa Senhora de Candelária, no Rio Grande do Norte, e deve continuar sem atuar na igreja até que as informações sejam apuradas pela arquidiocese. O nomes do marido e esposa envolvidos na questão não foram divulgados.

A conversa foi publicada nas redes sociais e se tornou um dos assuntos mais comentados na internet. A mulher, que diz ter a intenção de anular o casamento, confronta o padre após ter descoberto a infidelidade do esposo.

O padre Júlio tenta apaziguar a situação, dizendo que foram “momentos de fraqueza”, e que ambos teriam se confessado após os atos sexuais, por arrependimento. Irritada, a mulher demonstra não acreditar na sinceridade do religioso.

A situação fica ainda mais grave pois, segundo ela, Breno, o marido, não se limitou ao padre: embora Júlio diga com firmeza que não houve encontros após o casamento, e que a traição não se repetiu. A esposa afirma que o homem cometeu diversas outras infidelidades – sem incluir, porém, o religioso.

Segundo ela, as traições perduraram por anos, e teriam envolvido idas a cinemas eróticos, saunas e banheiros públicos. “O senhor só não foi o escolhido – um dos escolhidos” diz ela, ao padre, após o marido confessar que houve outras ocasiões de infidelidade. (Informações do portal O Povo)

Comentários Facebook
publicidade

Brasil

Homem afirma ser filho de Cuoco: ‘Não tenho dúvidas’

Publicado

por

Um homem chamado Anthony Junior afirma ser filho do ator Francisco Cuoco. Ele deu detalhes sobre o assunto em entrevista ao “Domingo Espetacular”, da Record, e garantiu não ter dúvidas de que o ator é seu pai.

 

“As mesmas feições faciais, as mãos, os pés. […] Não estou fazendo isso porque eu quero aparecer, estou fazendo isso porque eu estou atrás do meu pai biológico. Não do famoso, não do artista, estou atrás do meu pai biológico. Eu não tenho dúvidas de que ele é meu pai”, disse.

 

Anthony foi criado pelo padrasto, que o assumiu quando se casou com sua mãe, Neila.

 

“Ele me chamou no escritório e falou: ‘Pai é quem cria’. Eu disse: ‘Pai, vai direto ao assunto’. Ele me disse: ‘Você não é meu filho biológico’, e me mostrou o DNA”, disse Anthony, que foi informado sobre a paternidade pelo próprio padrasto, quando este se separou de sua mãe.

tias de Anthony, então, contaram a ele sobre o encontro de sua mãe com Francisco Cuoco no Rio. “Ela falou: ‘Almocei com ele, transei com ele'”, disse Joice Alonso, tia de Anthony, em entrevista ao “Domingo Espetacular”. Anthony também encontrou uma foto da mãe com o ator.

Neila, mãe de Anthony, é contra a investigação que ele faz sobre quem é seu verdadeiro pai. Ele acredita que ela fez um acordo com Francisco Cuoco e por isso não apoia a busca. Anthony mora em Orlando e veio ao Brasil para fazer o exame de DNA, que foi marcado pela Justiça em três laboratórios diferentes. No entanto, Francisco Cuoco não apareceu.

Decepção porque gera um estresse, eu saí de Orlando para vir para cá, são três anos de buscas, de pesquisas. Ele não ter comparecido é mais um ponto positivo na minha busca”.

 

O advogado de Francisco Cuoco informou ao “Domingo Espetacular” em nota que o ator não pode se manifestar devido a uma cláusula de confidencialidade no processo.
A defesa de Anthony pede o pagamento de uma multa, já que ele veio ao Brasil fazer o exame. “O que eu estou buscando é a verdade, não uma coisa forçada. Mas o fato de não corresponder, não facilitar, ele já está se culpando. Quem não deve, não teme”.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Brasil

Ex-ministro de Bolsonaro estima que Brasil tenha 230 mil mortes por covid-19

Publicado

por

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich estimou que o país tenha, considerando a subnotificação, 230 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus. Oficialmente, são pouco menos de 190 mil. Segundo o médico, a pandemia de covid-19 no Brasil é pior do que a de gripe espanhola.

“Os relatos históricos da gripe espanhola apontam um pouco mais de 35 mil mortes no Brasil nos anos de 1918 e 1919. Pelos dados do IBGE, em 1920 o Brasil tinha 30,6 milhões de habitantes. Se ajustarmos a mortalidade daquela época para os dias atuais, onde o Brasil tem aproximadamente 212,4 milhões de habitantes, o número equivalente de mortes em 2020 seria de aproximadamente 243 mil mortos”, argumentou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana