conecte-se conosco


Cuiabá

População tem até o dia 25 para encaminhar sugestões a serem implementadas na LOA 2022

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

Foi realizada na última sexta-feira (10), a segunda e última Audiência Pública que tratou da elaboração da Lei Orçamentária Anual- LOA 2022. A população atendeu mais uma vez o pedido e participou maciçamente dos encontros que foram transmitidos pelo canal oficial da Prefeitura de Cuiabá (Youtube), mas sugestões podem ser enviadas até o dia 25 de setembro. Cerca de 80 (oitenta) representantes da sociedade civil organizada, presidentes de bairros e lideranças comunitárias contribuíram apresentando as principais demandas das regiões na Capital. Os principais apontamentos foram relacionados a ampliação das creches, como também a colocação de asfaltos.

O diretor de Orçamento da Secretaria de Planejamento, Charles Zandonato informou que as necessidades consideradas como emergentes serão contempladas dentro do orçamento previsto para o próximo exercício, sendo a receita estimada de R$ 4.082.967.871 dividida entre corrente de capital, reserva de capital e despesa. O orçamento concede prévia autorização ao ente da Federação para que este realize receitas e despesas em um determinado período. “Depois dessas alterações, a peça deverá ser encaminhada até o dia 30 desse mês para a Câmara Municipal para análise e aprovação por parte dos vereadores”, explicou o diretor.  

Para quem não participou das audiência e gostaria de dar sugestões para o Executivo Municipal, terão até o dia 25 de setembro para encaminhá-las. Basta acessar o banner disponível no site da Prefeitura de Cuiabá, o www.cuiaba.mt.gov.br e deixar a sugestão. “O prazo legal para encaminhamento da peça à Câmara Municipal é o dia 30 de setembro, para votação. Já a aprovação tem de ocorrer até dezembro de 2021”, esclareceu Charles.

A LOA é o instrumento de planejamento utilizado pelos governantes para gerenciar as receitas e despesas públicas em cada exercício financeiro. Sendo assim, o orçamento concede prévia autorização ao ente da Federação para que este realize receitas e despesas em um determinado período. “Assim como em todas as ações que envolvem a destinação de recursos públicos são realizadas de forma transparentes e sempre ouvindo as demandas da população. A gestão Emanuel Pinheiro trabalha diuturnamente para transformar Cuiabá em uma cidade humanizada e com qualidade de vida”, concluiu o secretário municipal de Planejamento, Zito Adrien.

Comentários Facebook
publicidade

Cuiabá

Obras da Prefeitura na Saúde mudaram a rede de assistência à saúde aos cuiabanos

Publicado


Davi valle

Clique para ampliar

Não somente obras de mobilidade e de urbanização estão mudando a cara de Cuiabá na gestão Emanuel Pinheiro, mas também na área da saúde, ampliando e melhorando o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Foram inauguradas 6 obras de novas unidades. Na atenção primária, as unidades básicas de saúde dos bairros Jockey Clube e Santa Terezinha/Itapajé foram abertas em 2019; já no Residencial Ilza Terezinha Picolli Pagot e no Parque Ohara as UBSs foram disponibilizadas ao público em pleno auge da pandemia, em junho de 2020. 

Na atenção secundária, a obra de construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão foi concluída logo no início da Pandemia em Cuiabá, em março do ano passado, ficando até recentemente disponível com leitos de retaguarda para pacientes com covid-19 dentro do plano municipal de contingência a COVID-19. 

Já a maior obra de saúde pública do estado de Mato Grosso também foi entregue pela atual administração: o Hospital Municipal de Cuiabá Dr. Leony Palma de Carvalho – HMC, cuja obra foi entregue no final de 2018, sendo referência Municipal e Estadual em diversas especialidades de média e alta complexidade, atendendo a usuários de todo o Estado de Mato Grosso e até de estados vizinhos. O hospital também desempenhou papel fundamental durante a pandemia, por ser o único hospital com estrutura para atendimentos de urgência e emergência aberto 24 horas ininterruptamente e todas as outras especialidades não covid-19, desde março de 2020. Durante a pandemia, o HMC absorveu toda a demanda de ortopedia, neurologia, cirurgia geral, pediatria, Centro de tratamento de queimados (CTQ), corredor do AVC (SOS AVC) entre outros casos de média e alta complexidade.

“O HMC teve um papel muito importante na rede de atenção à saúde para o município de Cuiabá e também para todo o Estado, enquanto o Hospital São Benedito e o Hospital Referência se voltaram exclusivamente para o combate à Covid-19. Não tem como mensurar os impactos para população mato-grossense sem a relevante atuação do HMC durante esse período”, destaca o diretor geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), Vinicius Gatto.

Reformas e ampliações

Entre reformas e ampliações de unidades básicas de saúde, foram 31 obras concluídas entre 2017 e 2021. Dentre as reformas estão as das UBS dos bairros: São João Del Rey/Novo Millenium, em setembro de 2017; Renascer, Jardim Fortaleza/Santa Laura, Jardim Vitória I, Bela Vista/Carumbé e Parque Cuiabá, em 2018; Pedra 90 I e II, Jardim Florianópolis/União, Altos da Serra I e II, Despraiado I e II e Novo Terceiro, em 2019; CPA III, Alvorada, Clínica da Família, CER Pascoal Ramos, em 2020; Osmar Cabral, Novo Horizonte, Jardim Vitória II e III e Nova Esperança, em 2021. 

Já as ampliações foram realizadas em 8 unidades de saúde da família, sendo Rio dos Peixes, Jardim Independência, Jardim Colorado I e II, Parque Atalaia, Pedra 90 V e VI, Primeiro de Março, Pedra 90 III e IV, Dr. Fabio I e II – todas em 2020 – e em 4 centros de saúde (Tijucal, Grande Terceiro, Dom Aquino e Ana Poupina, entre 2018 e 2020.

Na atenção secundária à saúde, foram reformados o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) do CPA 1, o Centro Especializado de Reabilitação do Pascoal Ramos e as residências terapêuticas dos bairros Santa Isabel, Campos Elisiums, Cidade Alta, Carumbé e CPA 2.  

A secretária interina de Saúde, Suelen Alliend, destaca que essas obras, mais do que oferecer uma infraestrutura melhor para os usuários e profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), traduzem o respeito ao cidadão e a humanização da atual gestão. “Hoje em dia, todos os ambientes das nossas unidades contam com ar condicionado, visando oferecer mais conforto e comodidade aos nossos pacientes. Esses locais também foram adaptados para receber pessoas com deficiência, através das rampas de acesso e banheiros adaptados, por exemplo. Isso demonstra que a Prefeitura vê o cidadão como ser humano que precisa de acolhimento no momento mais difícil, que é quando ele precisa de atendimento na saúde”, afirma.

Novas unidades

A secretária ressalta ainda que a SMS já conta com o cronograma de obras que serão entregues até o final deste ano. São elas: Unidade de Pronto Atendimento – UPA Leblon, Centro de Especialidades Médicas – CEM Pascoal Ramos, Unidade de Saúde da Família – USF Jardim Imperial, dentre outras. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

HMC atende a 90 pacientes oriundos de 44 municípios de Mato Grosso

Publicado


Luiz Alves/Secom

Clique para ampliar

Censo realizado nesse sábado (23) revela que o Hospital Municipal de Cuiabá Dr. Leony Palma de Carvalho – HMC mantém internados 90 pacientes vindos de 44 municípios do interior de Mato Grosso. Os que mais têm munícipes sendo atendidos no HMC são Várzea Grande (15 pacientes), Diamantino, Tangará da Serra, Rosário Oeste (5 pacientes cada), Brasnorte (4 pacientes), Arenápolis, Barra do Bugres, Rondonópolis, Sapezal e Sinop (3 pacientes cada), Campo Verde, Colniza, Nobres, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Santo Antônio de Leverger e Vila Rica (2 pacientes cada). As cidades de Chapada dos Guimarães, Comodoro, Paranatinga, Nova Lacerda, Juruena, Lucas do Rio Verde, Tabaporã, Aripuanã, Juína, Lambari D’Oeste, Nova Olímpia, Cotriguaçu, Porto Estrela, Nova Marilândia, Confresa, Santo Ângelo, Nova Bandeirantes, Acorizal, Colíder, Sorriso, Água Boa, Cáceres, Juara, Poconé, Nova Nazaré, Jaciara e Matupá também não puderam oferecer a assistência necessária a seus munícipes, que foram acolhidos no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). 

Esses pacientes ocupam 40,9% dos leitos de enfermaria adulto e pediátrica, UTI adulto e pediátrica e do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) da unidade, sem contar a urgência e emergência. 

Desde o início da pandemia de covid-19, o HMC tem atuado em seu limite máximo de capacidade, atendendo a pacientes de Cuiabá, do interior e, por vezes, até mesmo de estados vizinhos, uma vez que o sistema de saúde ficou voltado majoritariamente para casos de covid-19 e o HMC tem mantido os demais atendimentos. 

O diretor da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), que administra o HMC, Vinícius Gatto, relata que, mesmo não sendo o fluxo regular, por vezes o HMC tem recebido demandas de porta aberta. “É corriqueiro chegar à porta do novo Pronto Socorro ambulâncias que vêm do interior com pacientes que sequer foram encaminhados pela Central de Regulação Estadual e que não conseguiram atendimento em suas cidades de origem. Para não negar atendimento e salvar vidas, recebemos essas pessoas que precisam de ajuda”, afirma. 

O diretor destaca ainda que há seis pacientes internados no HMC que já poderiam ter voltado para suas casas, o que não foi possível pois estão à espera do serviço de home care, de responsabilidade do governo estadual. “Enquanto esses pacientes não são liberados, a admissão de novos pacientes na internação fica prejudicada e muitos pacientes ficam aguardando na urgência e emergência, mas sempre recebendo toda a assistência”, relata o gestor da unidade hospitalar.  Em relação a esses pacientes, e equipe gestora do HMC entrou em contato com reguladores da Central de Regulação do Estado neste final de semana, inclusive convidando-os para verificar in loco a realidade e encontrar uma solução conjunta. Depois dessa interlocução, dois pacientes já estão sendo encaminhados para o serviço de home care.

Desde a inauguração total, em 2019, até a segunda semana de outubro de 2021, o HMC realizou 106.968 atendimentos, sendo 56.355 de urgência e emergência, 33.593 no ambulatório, 14.993 nas internações e UTIs, 407 no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), 2.027 no setor de Pediatria. Também foram realizados 13.465 cirurgias e 1.123.191 exames. A unidade hospitalar também conta, desde julho de 2020, com o Espaço de Acolhimento da Mulher Vítima de Violência, que já ultrapassou 400 acolhimentos às mulheres e seus filhos. Mais recentemente, com a transferência do programa SOS AVC do São Benedito (que ficou exclusivo para casos de covid-19, em março de 2021) para o HMC, 267 pacientes já tiveram suas vidas salvas pela equipe especializada, algo único em todo o estado. 

Além disso, o HMC tem oferecido serviços de qualidade, mesmo sem contar com o cofinanciamento do governo do Estado. Somente no último 29 de setembro é que a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) aprovou a pactuação de 40 leitos de UTI adulto no HMC. Antes disso, a Prefeitura de Cuiabá é que vinha custeando toda a estrutura, contando apenas com aporte da União, ao passo que o financiamento deveria ser tripartite, ou seja, federal, estadual e municipal. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana