conecte-se conosco


Economia

Preços do prato feito podem variar até 130% na capital paulista

Publicado

Pesquisa feita pela associação de consumidores Proteste mostrou que o valor mínimo da refeição composta por arroz, feijão, uma opção de proteína e salada, o chamado prato feito, PF ou executivo, na capital paulista foi de R$ 13,90, na região central, enquanto o valor máximo foi de R$ 32,00, no bairro de Santa Cecília. Na comparação de melhores preços, a diferença encontrada entre o mais barato e o mais caro foi de R$ 18,10, ou seja, 130% de variação.

O objetivo do estudo foi comparar preços mínimos, máximos e médios nas principais regiões de São Paulo do prato, para ajudar o consumidor a decidir qual o estabelecimento mais próximo de sua região de trabalho, estudo ou residência para realizar uma refeição mais barata.

Segundo a pesquisa feita em restaurantes, a diferença dos preços mínimo e máximo, proporcionalmente, com o valor do prato mais caro, seria possível fazer até duas refeições do prato mais barato e ainda sobraria uma quantia.

De acordo com a Proteste, todos os preços foram coletados entre os dias 1 e 7 de abril de 2022. No total, foram levantados preços de 100 estabelecimentos, entre as zonas sul, norte, oeste, leste e centro da cidade de São Paulo. Ao todo, foram coletados 100 preços.

“Se essa diferença for multiplicada para os dias úteis do mês (22 dias em média para o ano de 2022), nos quais normalmente as pessoas fazem refeições fora de casa, em um mês a diferença chega a R$ 398,20. Nesta lógica, em um ano, a economia é de até R$ 4.380,20, considerando 11 meses, visto que o trabalhador tem um mês de férias no ano”, analisou a Proteste.

A Proteste comparou ainda os valores dentro do mesmo estabelecimento. Em um dos locais o prato mais caro custou R$ 23,90, enquanto que o mais barato foi R$13,90, ao trocar a proteína da mais cara, a carne, para a mais barata, frango. “Isso resulta em uma diferença de R$ 10, que em um mês geraria uma economia de R$ 220, e simulando para um ano, a diferença é de R$ 2.420”, avaliou a entidade.

Preços médios por região

Quando avaliados os preços médios da capital paulista, a região com a maior média é a sul (R$ 21,08), seguida da leste (R$ 20,56), centro (R$ 20,42), oeste (R$ 20,18) e norte (R$ 18,80).

Dicas para economizar

Segundo a Proteste, as recomendações para economizar na hora de fazer a refeição fora de casa incluem se informar sobre programas de fidelidade; fazer um convênio entre sua empresa e um restaurante; evitar adquirir bebidas; passear mais pela região para conhecer novos locais; consultar o garçom, já que muitas opções mais baratas não estão no cardápio; levar comida de casa; e pesquisar nos aplicativos de entrega.

Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
publicidade

Economia

BB e agência francesa liberam 100 mi de euros para energia renovável

Publicado

Os desenvolvedores de energia renovável ganharão um incentivo para terem acesso a recursos. O Banco do Brasil (BB) e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) assinaram, nesta semana, um contrato para viabilizar a liberação de 100 milhões de euros em financiamentos para projetos no setor.

Segundo o Banco do Brasil, a parceria ajuda no cumprimento de metas da Agenda 2030, plano de ação global com 17 objetivos de desenvolvimento sustentável e 169 metas de erradicação da pobreza.

O acordo permitirá que o BB expanda a oferta de empréstimo para projetos de energia renovável para as pessoas físicas e para as pessoas jurídicas na categoria varejo pelos próximos dez anos. A AFD também destinou 300 mil euros para financiar projetos de cooperação técnica.

O Banco do Brasil calcula que os 100 milhões de euros, que equivalem a R$ 555 milhões no câmbio atual, gere 3,1 mil empregos. Esse investimento, informa a instituição financeira, evitará a emissão de cerca de 113 mil toneladas de gás carbônico por ano.

Atualmente, o BB aplica cerca de R$ 300 bilhões em projetos de sustentabilidade ambiental e social. Em relação ao setor de energia renovável, o banco destina cerca de R$ 10 bilhões para essa finalidade e tem como meta emprestar R$ 15 bilhões até 2025.

Ampliação

A instituição pretende ampliar as parcerias com a AFD nos próximos anos. Em maio, durante o congresso Mercado Global de Carbono, o BB e a AFD firmaram um memorando de entendimentos que prevê novas oportunidades de financiamentos a estados e municípios.

As linhas de crédito para os governos locais se concentrarão em projetos de infraestrutura de saneamento, incluindo o tratamento de esgoto e resíduos sólidos, energia renovável e eficiência energética, transporte limpo, mobilidade urbana, transição da infraestrutura para cidades inteligentes e adaptação a mudanças climáticas, saúde e educação.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Economia

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Receita alerta para golpe do falso IOF antecipado via Pix

Publicado

Cobrado sobre operações de crédito e de câmbio, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) está sendo usado por criminosos para enganar tomadores de empréstimos. A Receita Federal emitiu um alerta sobre estelionatários que se passam por supostas empresas para condicionar a liberação do crédito ao pagamento antecipado de IOF via Pix.

Segundo o Fisco, os fraudadores fornecem documentos falsos de notificação e de arrecadação que induzem o cidadão a recolher taxas inexistentes para a liberação do dinheiro. A vítima repassa o suposto IOF por meio de transferências Pix para pessoas físicas.

Boleto usado no golpe condiciona transferência de empréstimo a pagamento adiantado de IOF por Pix Boleto usado no golpe condiciona transferência de empréstimo a pagamento adiantado de IOF por Pix

Boleto usado no golpe condiciona transferência de empréstimo a pagamento adiantado de IOF por Pix – Divulgação/Receita Federal

Em comunicado, a Receita Federal informa que jamais fornece dados para recolhimento de tributos ou de taxas via transferência. Segundo o órgão, os servidores do Fisco não prestam serviços de empréstimo à população nem entram em contato para cobrar pagamentos.

Embora alguns tributos possam ser pagos via Pix, a Receita esclarece que o IOF só pode ser quitado por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), pago pela instituição que concede o empréstimo, não pelo tomador. Caso desconfie ser vítima de um golpe, a Receita Federal orienta que o cidadão procure imediatamente a polícia, munido de todas as provas possíveis, e registre um boletim de ocorrência.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Economia

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana