conecte-se conosco


Policial

Radiocomunicação digital é definida como ferramenta eficaz no combate à criminalidade

Publicado


Hérica Teixeira | Sesp-MT

O emprego direcionado das forças policiais no combate aos índices criminais é uma das características da eficiência da radiocomunicação digital. Implantada há pouco mais de três meses em Mato Grosso, os profissionais de segurança pública atribuem ao novo modelo de comunicação uma atuação rápida, precisa e sem interferências de terceiros.

À frente do policiamento ostensivo de quase 100 bairros de Cuiabá, o comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel PM Fernando Augustinho de Oliveira Galindo, afirma que a comunicação digital proporciona a otimização do tempo com emprego da tropa e identificação dos autores de ocorrências criminais.

A unidade responde pela execução do policiamento nas regiões do CPA, Jardim Vitória, Três Barras, Moinho, Planalto, Pedregal e Bosque da Saúde.

“Atuo em uma extensa região, que contempla vários bairros e a comunicação efetiva é muito importante na atividade operacional. Quando nosso policial na rua recebe a informação de alguma ocorrência, de imediato, as demais unidades nos arredores são comunicadas, o que propicia realizarmos um cerco e identificar as vítimas e os autores. Antes nosso contato tinha um grau maior de dificuldade”, revelou.

efaecae8-09a3-7282-b1fd-5da0c616fdea?t=1

No dia 15 de outubro de 2020, o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, lançou a efetivação da radiocomunicação digital em 16 municípios do estado. A nova ferramenta substitui o modal analógico. Para a implementação tecnológica foram investidos mais de R$ 10 milhões em aquisições de instrumentos. O recurso foi resultado de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) viabilizado pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Além de Cuiabá e Várzea Grande, as cidades de Rondonópolis, Poconé, Barão de Melgaço, Santo Antônio de Leverger, Nossa Senhora do Livramento, Jangada, Acorizal, Chapada dos Guimarães, Rosário Oeste, Nova Brasilândia, Planalto da Serra e Nobres foram contempladas, além dos distritos Agrovila das Palmeiras e Paraíso do Manso.

“O governador Mauro Mendes tem implementando, desde o início da sua gestão, recursos para otimizar e melhorar a qualidade dos serviços prestados ao cidadão. A radiocomunicação digital é mais uma demonstração deste esforço. Nossa meta é trabalhar para que todos os municípios disponham deste importante suporte técnico”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Como parte do emprego policial na zona rural, o delegado do município de Rosário Oeste (105 km ao Norte de Cuiabá), Gustavo Godoy Alevado, disse que a modernização da ferramenta de comunicação é um aliado do trabalho investigativo.

“A mudança do sinal analógico para o digital é muito importante para as atividades de segurança pública. Nossa cidade tem um território amplo e hoje conseguimos manter a comunicação. Antes, em algumas regiões, havia falhas”, atestou.

Além das Estações Repetidoras (ERB’s), contemplam o suporte de comunicação digital, rádios portáteis, móveis e fixos. A ferramenta garante qualidade na informação, criptografia da comunicação, rapidez no atendimento, integração da comunicação entre as instituições, dentre outas.

Integração

No comando da maior unidade prisional de Mato Grosso, o diretor da Penitenciária Central do Estado (PCE), Agno Ramos, disse que a integração da comunicação com as outras forças de segurança ampliam ainda mais a eficácia do trabalho operacional.

“Dentro da unidade utilizamos o equipamento para a guarda interna e externa. O incremento é muito importante para a comunicação diária e em caso de haver um evento de grande proporção, dentro de um único acionamento podemos inserir outras forças para solicitar apoio”, frisou.

Os demais municípios devem passar a operacionalizar a radiocomunicação digital até final de 2022. O incremento tecnológico de comunicação foi disponibilizado para os efetivos da Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Sistema Penitenciário.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Operação de combate à receptação de celulares prende 14 pessoas com aparelhos de origem ilícita

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Quatorze pessoas foram presas em flagrante durante operação da Polícia Civil deflagrada na sexta-feira (26.02) pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG),com objetivo de combater o crime de receptação de aparelhos celulares de origem ilícita,

A operação “Receptador” foi finalizada nesta segunda-feira (01.03), com o cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão domiciliar que resultaram na recuperação de 14 aparelhos celulares de diferentes marcas e modelos, todos de origem ilícita.

As ordens judiciais foram decretadas com base em investigações da Derf-VG que conseguiram identificar pessoas envolvidas com a receptação de celulares produtos de roubo/furto cometidos entre os meses de novembro de 2020 e janeiro de 2021.

Segundo a delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, o trabalho operacional mostra a intensificação das diligências investigativas para combater o crime de receptação, responsável por fomentar os índices de roubo e furtos ocorridos na região metropolitana.

“O receptador é um criminoso covarde que financia a violência e por isso precisa ser fortemente combatido. O foco da operação é tentar minimizar o prejuízo das vítimas, que geralmente são abordadas a caminho do trabalho e tem o seu bem subtraído. Em muitos casos as vítimas ainda estão pagando as parcelas do aparelho que não poderão utilizar, ficando somente com o prejuízo”, disse.

Crime e pena

O crime de receptação está previsto no artigo 180 do Código Penal Brasileiro (adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte. Pena de reclusão de 1 a 4 anos, e multa).

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Polícia Civil encontra corpos de bebês gêmeos enterrados em casa na Capital

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), atendeu na tarde desta segunda-feira (01.03), em que dois fetos foram encontrados enterrados no fundo de uma residência no bairro Novo Tempo, em Cuiabá.

As diligências iniciaram após os policiais da Deddica serem acionados pela equipe do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) de denúncia realizada via 197, sobre uma mulher grávida de gêmeos que teria enterrado os fetos nos fundos de casa, após fazer um aborto.

No endereço informado, os policiais encontraram a jovem, de 21 anos, que revelou que estava com cinco meses de gestação gemelar, quando entrou em trabalho de parto durante a madrugada de quinta-feira (25) e os bebes do sexo masculino nasceram sem vida (natimorto).

Sem saber o que fazer com os fetos, a jovem foi orientada pela mãe a enterrar os bebês no quintal de casa. Ela apresentou documento comprovando que estava fazendo os exames de pré-natal. O pai dos bebês não mora com a mãe das crianças.

Diante da veracidade dos fatos, os policiais da Deddica acionaram a equipe da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção (DHPP) para as providências cabíveis.

O procedimento também será encaminhado para Deddica para verificação de possível situação de maus tratos ou outro crime.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana