conecte-se conosco


Cuiabá

Símbolo de respeito e ocupação histórica: Beco do Candeeiro recebe bênçãos da Lavagem do Rosário e São Benedito

Publicado


Davi Valle

Clique para ampliar

“Na beira da praia, Ogum Sete Ondas, Ogum Beira Mar” foi o que se escutou as margens da Prainha, no Beco do Beco do Candeeiro, na noite da última sexta-feira (11). O projeto Afro Sagrado, executado pela Associação Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito realizou a benção dos candeeiros para celebrar a presença ancestral africana. Logo depois, o grupo musical Raízes do Samba se apresentou com repertório nacional. No local, também foi comercializado comidas típicas regionais. Os eventos realizados no Beco são promovidos pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer por determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, gratuitamente e seguem todas as medidas de biossegurança.

“É preciso respeitar as raízes do povo cuiabano, respeitar a fé tão diversa da nossa gente. A gestão Emanuel Pinheiro restaurou o Beco do Candeeiro para ser lugar de encontro, de exaltação da arte, da cultura, das tradições e vamos cada vez mais, promover a paz e união neste lugar tão simbólico da nossa Capital”, disse o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

Do agogô, instrumento Yoruba que se assemelha a um sino, veio o primeiro som. Daí por diante a cadência foi sendo construída. Das cabaças dos afoxés o som balançava até se fundir com a vibração dos atabaques. O ritmo se encorpava para que a bandeira da Paz dançasse no salão do Museu da Imagem e do Som (MISC). Ainda era só ensaio para o que viria a ser apresentado em instantes na rua 27 de Dezembro.

Às 19h, Ogum Beira Mar inundou o Beco do Candeeiro com seu exército branco. Chegou para abençoar, ocupar espaço de direito, por uma cultura de paz e tolerância. Eram os integrantes da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito adentrando a primeira rua iluminada de Cuiabá com seu axé.

“Hoje para nós é um momentos especial, é quando a Prefeitura de Cuiabá nos reconhece como movimento cultural da Capital. Quero agradecer a todos que estão aqui, todos somos Lavagem e todos buscamos um espaço dentro do contexto histórico dessa cidade. Estar dentro do Beco do Candeeiro, um local restaurado para nós povo afro brasileiro é muito importante para nós”, disse Lindsey Catarina, presidente da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito.

 Enquanto a Lavagem passava, o coração pulsava no ritmo dos dedos que tocavam o atabaque. O som reverberava nas pedras cangas que pareciam recordar os passos que retornavam para casa. O retorno das raízes afro brasileiras, da capoeira, do siriri e cururu, velhas conhecidas do Beco do Candeeiro.

“Quero dizer que é um prazer e uma emoção muito grande estar perto de um povo de fé. Quem conhece minha família sabe que a minha casa sempre esteve aberta para todos. Eu tenho muito orgulho de estar aqui e peço que me vejam e sintam sempre como uma irmã de vocês. Que Deus e Oxalá abençoem todos nós, muito axé para todo mundo”, disse a secretária Carlina Rabello Leite Jacob, que participou de toda a procissão pelo Beco e também esteve ao lado da presidente da Lavagem, Lindsey Catarina e do padre Hugo no momento simbólico de soltura de uma pomba branca pela paz. O secretário-adjunto de Cultura, Justino Astrevo também esteve presente no local.

Dos jarros com flores segurados pelas baianas vieram a água de cheiro que lavou a rua e os que assistiam e participavam do ritual. “Senhora do Rosário foi quem me trouxe aqui. Senhor do Rosário, foi quem me trouxe aqui. A água do mar é santa, eu vi, eu vi, eu vi”, cantava o exército branco, enquanto ramos de flores encharcados atiravam água perfumada e abençoada pelo ar.

“Eu tinha a fama de ser o padre mais macumbeiro da minha cidade, Campo Grande. Estou aqui como Igreja e digo que temos muito a que pedir perdão. Peço perdão a todo povo negro que teve que esconder seus orixás atrás de imagens de santo. Esse é o momento de pedir perdão, momento de que nossos ancestrais nos perdoem. Este momento é de abençoar este lugar que também já foi de sofrimento. Que nossos orixás nos abençoem, abram nossos caminhos e os purifiquem, axé”, disse padre Hugo, que representou a Paróquia Anglicana da Virgem Maria, no bairro Jardim El Dorado durante a benção.

A Associação da Lavagem dedicou o ritual em homenagem ao já falecido maestro Edinaldo Ferreira. No início da celebração foi feito um minuto de silêncio pelo falecimento da jornalista cultural, ex-assessora de imprensa da Prefeitura de Cuiabá, Alessandra Barbosa, falecida na sexta-feira (11).

Toda a programação no Beco do Candeeiro é realizada com entrada franca e limitada a 70 pessoas, respeitando as medidas de biossegurança em decorrência da pandemia da COVID-19.

Comentários Facebook
publicidade

Cuiabá

Ação de entrega de marmitas gratuitas no almoço atende pessoas em situação de rua, desempregados e trabalhadores em Cuiabá

Publicado


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Cerca de 450 marmitas são entregues diariamente na hora do almoço em vários pontos de Cuiabá por equipes da Secretaria de Assistência Social. Na última quinta-feira (29), uma equipe distribuiu 235 marmitas em quatro pontos da capital: Centro-Sul, bairro do Porto, Morro da Luz e Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá. A refeição não mata a fome só da população em situação de rua, mas também do trabalhador que muitas vezes não tem o dinheiro do almoço.

A ação se intensificou com as baixas temperaturas e se transformou em uma força-tarefa de enfrentamento ao frio, determinada pelo prefeito Emanuel Pinheiro e com a organização da primeira-dama, Márcia Pinheiro, equipes de servidores e voluntários percorreram a Capital também pela noite com sopões, entrega de cobertores e sacolão. A iniciativa é da primeira-dama Márcia Pinheiro com seu programa Aquece Cuiabá, executado pela Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência.

A jornada começa no Restaurante Popular às 11h. É lá que são preparadas as 450 marmitas, diariamente, por uma equipe de cozinha composta por 7 pessoas. Parte dos alimentos saem do Mercado do Porto, doações dos permissionários intermediada pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico. Só esta semana, cerca de 500 kg de alimentos foram doados para a força-tarefa de enfrentamento ao frio.

O carro de Ronnaldo Matos Passos, orientador social, servidor responsável pela distribuição das refeições na hora do almoço sai lotado, 235 refeições que serão distribuídas em quatro pontos da cidade: Centro-Sul, bairro do Porto, Morro da Luz e Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá.

Ronnaldo já é conhecido pelo nome nos pontos onde chega, trabalha entregando refeições desde março de 2020. Acompanhado de um motorista, ao estacionar do carro o servidor já desce organizando a fila. Com horário e locais fixos, as pessoas muitas vezes já estão à espera de Ronnaldo e da quentinha.

No cardápio: arroz, feijão, strogonoff de frango, salada e um docinho. Joé Carlos, de 65 anos é pedreiro, mora em Várzea Grande mas realiza serviços em uma casa na região do Centro-Sul de Cuiabá, próximo ao local onde são distribuídas as refeições. Para economizar, ele espera o carro da Assistência Social todos os dias, para almoçar. “Ajuda muito não precisar pagar pelo almoço. Porque os R$ 12 reais que eu economizo é um dinheiro a mais para gastar com as contas da casa”, disse pedreiro.

Na região do Porto não é diferente. Quando o carro estaciona, cerca de 20 pessoas já estão organizadas em fila para receber a marmita das mãos de Ronnaldo. Luiz Nascimento, 40 anos é chapeiro na região da Beira Rio e caminha até praça do Porto para retirar o almoço gratuitamente. “O dinheiro não dá para pagar tudo em casa. Esse almoço aqui ajuda e muito, sou muito grato. Desejo um ótimo dia de trabalho para vocês”, disse Luiz.

Ana Paula Ferreira, de 38 anos também está na fila com João Pedro, de 8 anos. Hoje ela vende salgados na região, um carrinho e um isopor garantem parte da renda da casa. Mas há 18 anos ela fazia da praça sua casa e conta que saiu da situação de rua com ajuda da mãe. “As coisas estão muito caras. Eu chego, vendo meu salgado, o pessoal que compra é geralmente os que trabalham aqui no entorno e até mesmo os moradores de rua quando ganham uma moeda, porque custa R$1,50. Na hora do almoço eu geralmente já vendo tudo, ai pego a marmita para mim e João Pedro e vou para casa”, conta Ana Paula.

O orientador social Ronnaldo diz que viu o número de pessoas a esperar pelas marmitas aumentar nesse período de pandemia. Hoje não são mais apenas pessoas em situação de rua, existem aqueles que estão desempregados, que saem de suas casas, muitas vezes vem de longe, utilizam cartão transporte para idoso que é gratuito para pegar a marmita e voltar para casa”. É o caso de seu Renato, 78 anos que não revelou o sobrenome, mas contou que é aposentado que mora sozinho e sai de casa para buscar o almoço no Morro da Luz.

De acordo com o índice de preços de alimentos das Nações Unidas, publicada pela CNN, os preços globais de alimentos no mundo subiram no mês de maio quase 40% de acordo com comparação anual e de acordo com projeção de Daniel Balaban, representante no Brasil do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WPP) e Diretor de excelência contra a Fome, também publicada pela CNN, o Brasil se aproxima de 9,5% na lista de subalimentação, quando para entrar novamente no Mapa da Fome basta voltar a 5%.

Na entregas de marmitas são realizadas de segunda a sábado, com início às 11h, em pontos já estabelecidos: próximo ao Estádio do Dutrinha, no bairro Centro-Sul, na praça Luiz Albuquerque, no bairro do Porto, no Morro da Luz e na Rodoviária Intermunicipal de Cuiabá.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Primeira-dama viabiliza compra de caminhas e cobertores para resgatados da Diretoria de Bem-estar Animal

Publicado


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Com a baixa das temperaturas em Cuiabá, os bichinhos resgatados pela Diretoria de Bem-estar Animal também sentiram o frio chegar e a primeira-dama Márcia Pinheiro, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano e Sustentável, viabilizaram a compra de cerca de 30 caminhas acolchoadas e cobertores pensando em aquecer o coração e o corpinho desses bichinhos.

“Na gestão Emanuel Pinheiro nos voltamos também pra aqueles que nos acompanham diariamente, que não dão suporte, fazem companhia e arrancar sorrisos, nosso animaizinhos, tão amadas e que são parte da família. Somos uma gestão que respeita e cuida de toda forma de vida, por isso criamos a Bem-estar Animal e por isso nos voltamos a eles também nesse momento atípico de frio em Cuiabá”, disse a primeira-dama Márcia Pinheiro.

E os bichinhos agradecem. Milli e Bob não saiam de perto de suas caminhas. Bem aconchegados, chegaram a ficar os dois na mesma redoma acolchoada, o instinto animal contra o frio e companheirismo com o cãoleguinha.

“São animais muito dóceis, que passaram por situação de agressão, de abandono, de maus tratos e eu hoje estão recebendo os cuidados aqui na Bem-Estar. Nossos servidores estão aqui todos os dias para limpar, cuidar, brincar e dar todo amor para que eles se recuperem, mas eles precisam de um lar, um local confortável para que possam retribuir todo o afeto”, disse Daniele Saad, diretora da Bem-estar Animal.

A Diretoria de Bem-estar Animal possui no momento 16 animais sob cuidados médicos, alguns recém operados de castração. Assim que totalmente recuperados estarão aptos para adoção. Então, você que busca amor e companheirismo, entre em contato pelo 0800 647 7755 para realizar a adoção responsável, de segunda a sexta, das 08h às 12h e das 14h às 18h.

Todos os animais são entregues para adoção já vermifugados, vacinados e castrados. A medida é uma das ações do órgão para reduzir a proliferação de possíveis animais abandonados.

A Diretoria ainda enfatiza que a pessoa, ao adotar um animal assume os seguintes compromissos: atendimento das necessidades físicas, psicológicas, ambientais e de saúde do animal; prevenção de riscos que ele possa causar à comunidade ou ao ambiente, como agressão, transmissão de doenças ou de danos a terceiros. Essas e demais recomendações podem ser consultadas na Lei Complementar 463/2017.

O órgão também pede a ajuda da população na conscientização contra o abando e os maus tratos e denúncias dessas naturezas podem ser realizadas também por meio do 0800 647 7755. Fora do horário comercial, as denúncias devem ser direcionadas para a Delegacia de Meio Ambiente (Dema).

Em 2019 as denúncias aumentaram para 559 durante todo o ano, uma média de 46 denúncias por mês e 283 animais foram resgatados. Em 2020 o levantamento aponta que só no primeiro semestre foram contabilizadas 497 denúncias, o que dá uma média de 82 por mês, o dobro dos anos anteriores e 274 animais foram resgatados em 6 meses. Já em 2021 os números continuam crescendo, nos primeiros três meses foram contabilizadas 294 denúncias, o que dá uma média de 98 por mês, enquanto que 80 animais foram resgatados no primeiro trimestre. 

O órgão foi implantado pela gestão Emanuel Pinheiro por sensibilidade a causa animal e mais do que isso, por reconhecer a causa como uma questão de respeito, saúde e política pública. Desde sua criação em março de 2018, a Diretoria atendeu mais de mil animais, dentre gatos e cachorros e promoveu a adoção responsável de cerca de 300 bichinhos. Além disso, foram aprovadas e estão em fase de regulamentação, seis leis municipais, sugeridas pela Bem-estar direcionadas a causa animal: Lei 436/17 de proteção aos animais, Lei 6423/19 do protetor independente, Lei 6439/ 19 do animal comunitário, Lei 6492/19 monitoramento através de câmeras em pet shop, Lei 6512/20 circulação de veículo de tração animal em vias de perímetro urbano e Lei 6549/20 proibindo animal em corrente curta.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Cidades

Nortão

Policial

Mais Lidas da Semana